ARTIGO COM VÍDEO – O Americas Rugby Championship começou neste sábado em Vancouver, no Canadá, com jogo isolado entre Canadá e Uruguai, válido também como a partida de ida entre as duas seleções na fase final das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2019. E com um prêmio tão cobiçado em disputa, a torcida canadense compareceu, com mais de 15 mil torcedores empurrando os Canucks, que jamais até hoje ficaram de fora de um Mundial.

Porém, mesmo colocando em campo a sua força máxima do momento, com a volta de atletas de renome que atuam na Europa, os canadenses atingiram um ponto baixo em sua vencedora história: derrota para o Uruguai por 38 x 29, complicando-se na luta por um lugar no Mundial. Para os Teros, uma vitória imensa, ganhando vantagem na disputa para chegarem à quarta Copa do Mundo de sua história.

O momento péssimo que vive o XV masculino canadense se provou já nos primeiros instantes da partida. Com menos de 1 minuto, o fullback uruguaio Rodrigo Silva explorou uma avenida na defesa dos anfitriões para correr para o primeiro try uruguaio.

O Canadá não se abalou tão rápido e foi capaz de controlar a posse de bola e ter domínio territorial no primeiro quarto de jogo, pressionando os uruguaios, que mostraram uma poderosa defesa, de tackles fortes, baixos e muito técnicos, resistindo à pressão vermelha até os 18′, quando o espaço finalmente foi aberto por Taylor Paris, um dos destaques canadenses, com a bola chegando à ponta para o asa Olmstead empatar o duelo em 7 x 7.

- Continua depois da publicidade -

Aos 22′, Connor Braid chutou o penal da virada no placar para os Canucks e, aos 24′, tudo parecia se encaminhar para os donos da casa, com LaSage achando o espaço na linha celeste para disparar e servir o matador DTH van der Merwe, que fez um try que podia dar a tranquilidade que o Canadá necessitava. Do outro lado, o abertura uruguaio Felipe Berchesi vivia um inferno pessoal nos chutes, errando aos 28′ o primeiro de vários penais desperdiçados pelos Teros no jogo. Porém, o Canadá era frágil demais na defesa e não tardou a se complicar, assistindo aos uruguaios fazerem uma linha simples de passes até a ponta para Leandro Leivas marcar o segundo try dos visitantes, aos 30′, devolvendo o Uruguai ao páreo.

Aos 36′, Berchesi jogou fora outro penal, mas os Teros aproveitaram o momento melhor e viraram o placar antes do intervalo, com o brilhante scrum-half Santiago Arata explorando o espaço na base de ruck canadense nas 22 para disparar para o terceiro try sul-americano, 21 x 17.

 

O Canadá voltou ao segundo tempo sugerindo uma atitude melhor e logo no primeiro ataque virou o placar em um maul implacável, arrancando um penal try importante, com o hooker uruguaio Kessler recebendo amarelo. A vantagem numérica não trouxe nada positivo ao Canadá. O Uruguai lamentou outro penal desperdiçado aos 50′ e, aos 51′, a linha celeste funcionou e Freitas serviu com passe longo o segunda linha Ignacio Dotti que correu na ponta para um try afirmativo, colocando os Teros na frente novamente. E, aos 56′, ainda com 14 jogadores, o Uruguai foi capaz de ampliar o placar com mais um try, de Rodrigo Capó Ortega, na base do pick and go. Try do ídolo profissional dos Teros, de volta à seleção depois de 3 anos de ausência.

O desespero bateu sobre o Canadá, que foi mostrando suas fragilidade e expondo a falta de conjunto – visível para um time que só teve disponíveis seus profissionais que jogam na Europa na própria semana do embate. Apenas aos 70′ o Canadá voltou ao páreo, com Phil Mack invertendo uma linha e Blevins atropelando na ponta para fazer o try de um suspiro final para os Canucks.

No entanto, não houve chance para uma virada e Berchesi ainda teve tempo de se redimir e chutar certeiramente um penal que deu preciosa vantagem de 9 pontos para o Uruguai administrar no jogo de volta. 38 x 29, placar final.

No sábado, dia 3, Canadá e Uruguai duelarão em Montevidéu, em partida que não valerá pelo Americas Rugby Championship. No mesmo dia, o Brasil estreará na competição continental visitando o Chile, em Santiago, enquanto Estados Unidos e Argentina duelarão em Los Angeles.

29versus copiar38

Canadá 29 x 38 Uruguai, em Vancouver

Árbitro: Andrew Brace (Irlanda)

 

Canadá

Tries: Olmstead, Van der Merwe, penal try e Blevins

Conversões: Braid (2)

Penais: Braid (1)

1 Hubert Buydens, 2 Ray Barkwill, 3 Jake Ilnicki, 4 Brett Beukeboom, 5 Josh Larsen, 6 Evan Olmstead, 7 Matt Heaton, 8 Tyler Ardron, 9 Phil Mack (c), 10 Connor Braid, 11 DTH van der Merwe, 12 Nick Blevins, 13 Ben LeSage, 14 Jeff Hassler, 15 Taylor Paris;

Suplentes: 16 Benoit Piffero, 17 Djustice Sears-Duru, 18 Cole Keith, 19 Admir Cejvanovic, 20 Lucas Rumball, 21 Gordon McRorie, 22 Patrick Parfrey, 23 Brock Staller;

 

Uruguai

Tries: Silva, Leivas, Arata, Dotti e Capó Ortega

Conversões: Berchesi (5)

Penais: Berchesi (1)

1 Mateo Sanguinetti, 2 Germán Kessler, 3 Mario Sagario, 4 Ignacio Dotti, 5 Rodrigo Capó Ortega, 6 Juan Manuel Gaminara (c), 7 Franco Lamanna, 8 Alejandro Nieto, 9 Santiago Arata, 10 Felipe Berchesi, 11 Nicolás Freitas, 12 Andrés Vilaseca, 13 Juan Manuel Cat, 14 Leandro Leivas, 15 Rodrigo Silva;

Suplentes: 16 Carlos Pombo, 17 Matías Benitez, 18 Juan Echeverría, 19 Manuel Leindekar, 20 Rodolfo Garese, 21 Agustín Ormaechea, 22 Gastón Mieres, 23 Joaquín Prada;

 

EquipeApelidoPJVED4+-7PPPCSP
Estados UnidosEagles2455004019768129
ArgentinaArgentina XV2154014116969100
UruguaiTeros1453022016815711
CanadáCanucks115202301321293
BrasilTupis451030063159-96
ChileCóndores150050171218-147
- Vitória = 4 pontos;
- Empate = 2 pontos;
- Derrota = 0 pontos;
- Anotar 4 ou mais tries = 1 ponto extra;
- Perder por 7 pontos ou menos de diferença = 1 pontos extra;

 

Foto: URU