Vem aí a 2ª rodada do Rugby Championship: prévia e escalações

Sexta e sábado de grandes jogos internacionais na TV e na internet com duas das mais fortes competições entre seleções do mundo. Nessa sexta, a Copa das Nações do Pacífico chega à sua segunda rodada na América do Norte, com o clássico do Pacífico Sul entre Fiji e Samoa sendo jogado na Califórnia, abrindo a rodada e valendo a liderança do torneio. Na sequência, é a vez dos Estados Unidos medirem forças com o Japão, em jogo que será reeditado na Copa do Mundo, e do Canadá batalhar com Tonga, em duelo de equipes que largaram com derrota.

 

Já no sábado é a vez dos dois embates tão aguardado pelo Rugby Championship. No Ellis Park, África do Sul e Nova Zelândia fazem o clássico das duas históricas potências do rugby, com os All Blacks tentando manter a liderança e os Springboks em busca da volta por cima. Já em Mendoza será a vez da Argentina medir forças com a Austrália, valendo a ponta para os Wallabies e a segunda vitória na história do campeonato para os Pumas.

 

Os maiores do planeta em campo

A visita neozelandesa à África do Sul vale muito mais que o óbvio. O título do Rugby Championship está em jogo, mas é na Copa do Mundo que os técnicos Steve Hansen e Heyneke Meyer estão de olho. Com desfalques importantes, o time dos All Blacks que estará no Ellis Park é ainda assim forte o bastante para derrotar os sul-africanos, sobretudo por mostrar um repertório invejável no banco de reservas. Se Dan Carter não estará em campo, Hansen tira de sua caixa de ferramentas a dupla campeã do Super Rugby para criar: Lima Sopoaga e Aaron Smith prometem infernizar os Boks e querem provar que é essa a formação para Hansen apostar no Mundial. Nos centros, retorna a dupla fenomenal do Hurricanes, Conrad Smith e Ma’a Nonu jogando lado a lado. E na ponta estará Ben Smith , para jogar oposto a Piutau e com Israel Dagg no fundo. Para a terceira linha, retorna Liam Messam, que dispensa apresentação. Já na segunda linha, Hansen não tem Romano, mas tem Broadhurst. E na primeira linha lá vem Dane Coles. É time nível campeão mundial.

 

O desespero dos Springboks por uma vitória poderá facilitar a vida dos All Blacks, que podem ter mais espaço para contra-atacarem o oponente que não mostrou bom rendimento físico contra os Wallabies. E na linha o time terá um desfalque sensível, o lesionado e experiente ponta JP Pietersen, com o veloz, mas não tão bom defensivamente Cornal Hendricks. A juventude de Jesse Kriel e Damian de Allende nos centros será mais que nunca posta à prova, mas os pontos sensíveis seguem. Na abertura, Pollard não fez um bom jogo com os aussies, nem Ruan Pienaar, o que abre mais outra vantagem para os Homens de Preto no setor. Brüssow volta ao time na terceira linha, após lesão de Coetzee, e Burger assume a faixa de capitão, mesmo jogando fora de posição como oitavo. Na segunda linha, Matfield não aguentou e De Jager entrou. Um teste crucial para o gigante Bokke. A chave para os donos da casa talvez esteja na primeira linha, onde tem chances de suplantar os All Blacks. Nos demais setores, o torcedor está apreensivo.

 

Pumas rumo à afirmação? Ou Wallabies rumo ao título?

No ano passado, a Argentina venceu em casa, em Mendoza, a Austrália, e o palco se repete neste ano. Mas, ao contrário de 2014, os Wallabies chegam confiantes e em bom momento, com grande vitória sobre os sul-africanos. Para a partida, a Austrália não contará com o lesionado Matt Giteau, o que levou Michael Cheika a inovar, deixando Cooper e Genia (lesionado) de fora e apostando na dupla do Waratahs de 9 e 10, Phipps e Foley. Chance para ambos provarem que merecem mais a titularidade que seus concorrentes. Toomua fará a dupla de centros do Brumbies com Kuridrani, o que poderá aumentar a intensidade do jogo aussie. Já na ponta, Tomane substitui o lesionado Horne, ao passo que no banco Kurtley Beale é opção. Novidades na terceira linha também, com McCalman de oitavo e Pocock de 7. Pocock deverá jogar tudo e mais um pouco para provar que merece o XV titular, a Argentina que se cuide. No pack, muito se fala que os australianos são os mais frágeis de 1 a 5 no torneio, e contra a Argentina o time terá um grande desafio nesse setor, já que os Pumas empurraram em alguns momentos os All Blacks, até serão demolidos no fim do jogo.

 

Os Pumas também tiveram muitas mudanças, especialmente na linha, com Hourcade apostando em Santiago Cordero com a 15, e Camacho e Imhoff nas pontas. Matías Moroni e Juan Pablo Socino ganham espaço no centro, nos postos de Marcelo Bosch e De la Fuente, ao passo que o contestado Landajo entra com a 9 ao invés de Cubelli. Muitas mudanças que podem cobrar seu preço, pois a inferioridade argentina entre os backs é patente. No pack, Lavanini na segunda linha e Desio de asa são as novidades, o que pode melhorar o desempenho do time nos dois setores. A segunda linha, em especial o jogo do lateral, pode pender a favor dos argentinos, mas a batalha do breakdown será de grande dificuldade. E nada garante que os argentinos irão produzir, pela fragilidade de sua conexão com a linha. O favoritismo é australiano.

 

Samoa e Japão assumem favoritismo

Amanhã, as atenções com relação à Copa das Nações do Pacífico vão se voltar ao duelo entre Fiji e Samoa, o mais aguardado do dia. A situação é distinta entre as duas equipes. Enquanto Samoa vem com o status de seleção mais forte da região e com grandes chances de ir bem na Copa do Mundo, Fiji preocupa seu torcedor pela possibilidade de ser sumariamente eliminado no Mundial, por conta do grupo no qual caiu. Por tal razão, uma vitória sobre a rival badalada faria muito bem para a cabeça dos fijianos, sobretudo após ter vencido sem convencer Tonga.  Murimurivalu dará lugar a Talebula no time fijiano, enquanto Botia, de atuação marcante contra Tonga, não estará em campo, com Lovobalavu entrando. Apesar as perda de Botia, o torcedor de Fiji comemora a entrada de Akapusi Qera, instrumental para Fiji tentar suplantar o poderoso pack samoano. É na disputa do breakdown que está a chave do jogo, já que Fiji é superior na linha, mas claramente inferior no pack, sobretudo no scrum. Para ter a bola nas mãos de sua linha, é essencial o domínio na terceira linha. Samoa, por sua vez, segue sem o scrum-half Kahn Fotuali’i, o que é grande perda, mas terá o retorno do fullback Autagavaia, importante no sistema defensivo atrás. Samoa usa o torneio para fazer muitos testes e isso poderá lhe custar o resultado.

 

Já Tonga visita o Canadá, em jogo interessantíssimo. Tonga mostrou muita qualidade diante de Fiji, mas perdeu o ritmo e seus erros, sobretudo nos chutes, lhe custaram a vitória. O Canadá, por sua vez, foi muito apagado e preocupou contra o Japão. Será a chance de Tonga provar que não vai ao Mundial a passeio, e para isso precisa de uma vitória convincente, enquanto o Canadá tem que provar que sabe jogar contra packs fortes, pois essa será a tônica de seu grupo na Copa.

 

No outro jogo, Japão e Estados Unidos fazem o duelo nas seleções que mais crescem na região. O Japão foi bem contra o Canadá e se vencer os EUA não dará margem a dúvidas de que subiu um degrau definitivo no cenário mundial. O jogo se repetirá na Copa e será uma interessante prévia do que ambos serão capazes daqui a menos de dois meses. O Japão tem um rugby envolvente e intenso, colocando a prova a capacidade defensiva americana. Porém, as Águias evoluíram muito fisicamente e quase surpreenderam Samoa na rodada passada. Os Estados Unidos jogarão quase completos, ao passo que o Japão não terá alguns de seus principais nomes, como o fullback Goromaru e o scrum-half Tanaka. Chance de ouro para os americanos.

 

Sexta-feira, dia 24 de julho

fiji copyversus(16)samoa copy

21h00 – Fiji x Samoa, em Sacramento (EUA) – Copa das Nações do Pacífico – www.worldrugby.org AO VIVO

Árbitro: JP Doyle (Inglaterra)

 

Fiji: 1. Peni Ravai, 2. Sunia Koto, 3. Manasa Saulo, 4. Api Ratuniyarawa, 5. Leone Nakarawa, 6. Peceli Yato, 7. Akapusi Qera (c), 8. Sakiusa Matadigo, 9. Nemia Kenatale, 10. Ben Volavola, 11. Asaeli Tikoirotuma, 12. Gabiriele Lovobalavu, 13. Vereniki Goneva, 14. Waisea Nayacalevu, 15. Metuisela Talebula

Suplentes: 16. Viliame Veikoso, 17. Campese Maafu, 18. Taniela Koroi, 19. Nemia Soqeta, 20. Malakai Ravulo, 21. Henry Seniloli, 22. Josh Matavesi, 23. Napolioni Nalaga.

 

Samoa: 1 Sakaria Taulafo, 2 Moto Matu’u, 3 Anthony Perenise, 4 Teófilo Paulo, 5 Faatiga Lemalu, 6 TJ Ioane, 7 Jack Lam, 8 Vavae Tuilagi, 9 Pele Cowley, 10 Michael Stanley, 11 Alesana Tuilagi, 12 Johnny Leota, 13 Paul Perez, 14 Alofa Alofa, 15 Faatoina Autagavaia.

Suplentes: 16 Ma’atulimanu Leiatua, 17 Vilau Afatia, 18 Jake Grey, 19 Iosefa Tekori, 20 Faifili Levave, 21 Vavao Afemai, 22 Patrick Faapale, 23 Faleniu Iosi.

 

Histórico: 50 jogos, 28 vitórias de Fiji, 19 vitórias de Samoa e 3 empates. Último jogo: Fiji 13 x 18 Samoa, em 2014.

 

canada copy copy versus(16)tonga copy

23h00 – Canadá x Tonga, em Burnaby – Copa das Nações do Pacífico – www.worldrugby.org AO VIVO

Árbitro: Federico Anselmi (Argentina)

 

Canadá: 15 Matt Evans, 14 Jeff Hassler, 13 Ciaran Hearn, 12 Connor Braid, 11 DTH van der Merwe, 10 Liam Underwood, 9 Gordon McRorie; 8 Tyler Ardron (c), 7 John Moonlight, 6 Richard Thorpe, 5 Brett Beukeboom, 4 Jon Phelan, 3 Andrew Tiedemann, 2 Aaron Carpenter, 1 Hubert Buydens.

Suplentes: 16 Benoît Piffero, 17 Djustice Sears-Duru, 18 Doug Wooldridge, 19 Callum Morrison, 20 Kyle Gilmour, 21 Phil Mack, 22 Nathan Hirayama, 23 Phil Mackenzie.

Tonga: 15 Vunga Lilo, 14 Telusa Veainu, 13 Sione Piukala, 12 Viliami Tahitu’a, 11 Fetu’u Vainikolo, 10 Kurt Morath, 9 Sonatane Takulua; 8 Viliami Ma’afu, 7 Nili Latu (c), 6 Hale T-Pole, 5 Joe Tuineau, 4 Steve Mafi, 3 Halani Aulika, 2 Elvis Taione, 1 Tevita Mailau.

Suplentes: 16 Sosefo Sakalia, 17 Sona Taumalolo, 18 Sila Puafisi, 19 Uili Kolo’ofai, 20 Viliami Fihaki, 21 Sosefo Ma’ake, 22 Latiume Fosita, 23 Otulea Katoa.

 

Histórico: 7 jogos, 5 vitórias do Canadá e 2 vitórias de Tonga. Último jogo: Canadá 36 x 27 Tonga, em 2013.

 

Sábado, dia 25 de julho

usaversus(16) japão logo novo copiar

00h00 – Estados Unidos x Japão, em Sacramento – Copa das Nações do Pacífico – www.worldrugby.org AO VIVO

Árbitro: Luke Pearce (Inglaterra)

 

Estados Unidos: 15 Chris Wyles (c), 14 Blaine Scully, 13 Seamus Kelly, 12 Thretton Palamo, 11 Takudzwa Ngwenya, 10 AJ MacGinty, 9 Mike Petri; 8 Danny Barrett, 7 Andrew Durutalo, 6 Scott LaValla, 5 Cam Dolan, 4 Hayden Smith, 3 Titi Lamositele, 2 Zach Fenoglio, 1 Eric Fry.

Suplentes: 16 Phil Thiel, 17 Nicholas Wallace, 18 Chris Baumann, 19 Louis Stanfill, 20 Alastair McFarland, 21 Shalom Suniula, 22 Folau Niua, 23 Zack Test.

Japão: 15 Yoshikazu Fujita, 14 Karne Hesketh, 13 Kotaro Matsushima, 12 Ryohei Yamanaka, 11 Akihito Yamada, 10 Harumichi Tatekawa, 9 Keisuke Uchida; 8 Koliniasi Holani, 7 Michael Broadhurst, 6 Justin Ives, 5 Luke Thompson, 4 Hitoshi Ono, 3 Kensuke Hatakeyama (c), 2 Takeshi Kizu, 1 Keita Inagaki.

Suplentes: 16 Hiroki Yuhara, 17 Hisateru Hirashima, 18 Shinnosuke Kakinaga, 19 Kazuhiko Usami, 20 Tsuyoshi Murata, 21 Atsushi Hiwasa, 22 Kosei Ono, 23 Tim Bennetts.

 

Histórico: 21 jogos, 12 vitórias dos Estados Unidos, 8 vitórias do Japão e 1 empate. Último jogo: Estados Unidos 29 x 37 Japão, em 2014.

 

springboks logo%283%29versus(16)all blacks%281%29

12h00 – África do Sul x Nova Zelândia, em Joanesburgo – The Rugby Championship – ESPN AO VIVO

Árbitro: Jérôme Garcès (França)

 

África do Sul: 15 Willie le Roux, 14 Cornal Hendricks, 13 Jesse Kriel, 12 Damian de Allende, 11 Bryan Habana, 10 Handré Pollard, 9 Ruan Pienaar, 8 Schalk Burger (c), 7 Francois Louw, 6 Heinrich Brüssow, 5 Lood de Jager, 4 Eben Etzebeth, 3 Jannie du Plessis, 2 Bismarck du Plessis, 1 Tendai Mtawarira.

Suplentes: 16 Adriaan Strauss, 17 Trevor Nyakane, 18 Vincent Koch, 19 Flip van der Merwe, 20 Warren Whiteley, 21 Cobus Reinach, 22 Pat Lambie, 23 Lionel Mapoe.

 

Nova Zelândia: 15 Israel Dagg, 14 Ben Smith, 13 Conrad Smith, 12 Ma’a Nonu, 11 Charles Piutau, 10 Lima Sopoaga, 9 Aaron Smith, 8 Kieran Read, 7 Richie McCaw (c), 6 Liam Messsam, 5 James Broadhurst, 4 Brodie Retallick, 3 Owen Franks, 2 Dane Coles, 1 Tony Woodcock.

Suplentes: 16 Codie Taylor, 17 Wyatt Crockett, 18 Ben Franks, 19 Sam Whitelock, 20 Victor Vito, 21 TJ Perenara, 22 Beauden Barrett, 23 Malakai Fekitoa.

 

Histórico: 89 jogos, 51 vitórias da Nova Zelândia, 35 vitórias da África do Sul e 3 empates.

 

UAR_copy_copy.jpgversus(16) Wallabies copy

19h40 – Argentina x Austrália, em Mendoza – The Rugby Championship – ESPN AO VIVO

Árbitro: Jaco Peyper (Austrália)

 

Argentina: 15 Santiago Cordero, 14 Gonzalo Camacho, 13 Matías Moroni, 12 Juan Pablo Socino, 11 Juan Imhoff, 10 Nicolás Sánchez, 9 Martín Landajo, 8 Facundo Isa, 7 Juan Martín Fernández Lobbe, 6 Javier Ortega Desio, 5 Tomás Lavanini, 4 Manuel Carizza, 3 Ramiro Herrera, 2 Agustín Creevy (c), 1 Marcos Ayerza.

Suplentes: 16 Santiago Iglesias Valdez, 17 Nahuel Tetaz Chaparro, 18 Matías Díaz, 19 Matías Alemanno, 20 Leonardo Senatore, 21 Tomás Cubelli, 22 Santiago González Iglesias, 23 Lucas González Amorosino.

 

Austrália: 15 Israel Folau, 14 Adam Ashley-Cooper, 13 Tevita Kuridrani, 12 Matt Toomua, 11 Joe Tomane, 10 Bernard Foley, 9 Nick Phipps, 8 Ben McCalman, 7 David Pocock, 6 Scott Fardy, 5 Rob Simmons, 4 Will Skelton, 3 Greg Holmes, 2 Stephen Moore (c), 1 James Slipper.

Suplentes: 16 Tatafu Polota-Nau, 17 Scott Sio, 18 Sekope Kepu, 19 Dean Mumm, 20 Michael Hooper, 21 Nic White, 22 Quade Cooper, 23 Kurtley Beale.

 

Histórico: 23 jogos, 17 vitórias da Austrália, 3 vitórias da Argentina e 1 empate. Último jogo: Argentina 21 x 17 Austrália, em 2014.

 

*Horários de Brasília

 

PaísApelidoJogosPontos
AustráliaWallabies313
Nova ZelândiaAll Blacks39
ArgentinaPumas35
África do SulSpringboks32

 

SeleçãoJogosPontos
Fiji311
Samoa311
Tonga38
Japão36
Estados Unidos35
Canadá31

Comentários