ARTIGO COM VÍDEO – Vivo! O rugby australiano não morreu e neste sábado os Wallabies mostraram que podem superar a má fase mais rápido do que muitos esperam. Em seu melhor jogo no ano, a Austrália deu trabalho à Nova Zelândia em plena casa da rival, em Dunedin, e por muito pouco não produziu uma grande surpresa. Porém, a Nova Zelândia encontrou seu try no apagar das luzes e venceu um grande jogo por 35 x 29, mantendo-se na ponta do Rugby Championship e faturando o título de 2017 da Bledisloe Cup.

O primeiro tempo começou de forma alucinante e inesperada, com Israel Folau interceptando passe de Damian McKenzie com menos de 1 minuto de jogo para disparar para o primeiro try da partida.

Um time experiente como a Nova Zelândia não se abala tão facilmente, mas os pequenos erros foram comprometendo o início de partida do time da casa e, aos 11′, os Wallabes ganharam o lateral e Michael Hooper achou o espaço para cair para o segundo try australiano, colocando impensáveis 12 x 00 a favor dos aussies. E tinha mais! Aos 16′, os All Blacks não se saíram bem no scrum, Will Genia achou o espaço e deixou de offload para Hooper, que entregou para Bernard Foley marcar nada menos que o terceiro try da Austrália, fazendo imensos 17 x 00.

Os All Blacks tiveram que reagir no calado Forsyth Barr Stadium e logo acharam seu caminho, com Aaron Smith conduzindo o maul e entregando para Rieko Ioane romper na velocidade e na força a linha e fazer o primeiro try kiwi. Os neozelandeses ganharam fôlego e quase chegaram ao segundo try na sequência, com contra golpe anulado por impedimento.

- Continua depois da publicidade -

A pressão neozelandesa seguiu forte e, aos 39′, Ryan Crotty rompeu para o try, que, no entanto, foi anulado pela bola escapar-lhe na hora do apoio. Sem problemas e antes do intervalo Aaron Smith achou o espaço após o scrum – ponto fraco dos Wallabies no jogo – e marcou o segundo try kiwi, que já estava mais do que maduro. 17 x 14, Austrália na frente ainda no intervalo.

A volta dos vestiários não teve a mesma intensidade do início do jogo, com os dois lados se revezando no ataque. A Nova Zelândia acabou chegando com mais perigo e, aos 53′, Brodie Retallick teve outro try anulado por não conseguir o apoo no in-goal.

Foi somente aos 60′ que saiu a virada neozelandesa. Após scrum, Beauden Barrett ganhou no físico de Genia e fez o try do 19 x 17. Balde de água fria? Nada disso. Apesar da Nova Zelândia liderar o jogo em posse de bola e território e dos tackles australianos perdidos irem se acumulando, a Austrália seguia forte no breakdown e focada com a bola em mãos. Aos 66′, os australianos emplacaram 11 fases e Will Genia fez uma pintura, aplicando um desconcertante dummy para fintar a defesa e correr para o try de nova virada, 22 x 21.

Nos momentos difícil a Nova Zelândia em mestre em reter sua posse de bola e, ao 71′, eles provaram o sangue frio, com uma linha de passes perfeita chegando a Ben Smith para a torcida festejar novamente os Homens de Preto na frente. E, em um final épico, a Austrália não se rendeu. Aos 75′, em outra condução de fases precisa de Genia, Kurtley Beale rompeu para o try que parecia fazer o impossível acontecer, colocando os Wallabies na frente em momento derradeiro.

Mas a Nova Zelândia tem mais de um melhor do mundo e, aos 77′, Kiera Read rompeu a linha de vantagem, deixou de offload para Perenara que entregou para Beauden Barrett liquidar a partida. 35 x 29 e 45º título de Bledisloe Cup da Nova Zelândia!

Jogão! Liderança assegurada para os All Blacks e agora descanso para os dois times, que só voltarão a campo no dia 9 de setembro, com a Nova Zelândia recebendo a Argentina e a Austrália recebendo a África do Sul.


35versus copiar29

Nova Zelândia 35 x 29 Austrália, em Dunedin

Árbitro: Wayne Barnes (Inglaterra)

Nova Zelândia

Tries: B Barrett (2), Ioane, A Smith, Retallick e B Smith

Conversões: B Barrett (5)

15 Damian McKenzie, 14 Ben Smith, 13 Ryan Crotty, 12 Sonny Bill Williams, 11 Rieko Ioane, 10 Beauden Barrett, 9 Aaron Smith, 8 Kieran Read (c), 7 Sam Cane, 6 Liam Squire, 5 Samuel Whitelock, 4 Brodie Retallick, 3 Nepo Laulala, 2 Dane Coles, 1 Joe Moody

Suplentes: 16 Codie Taylor, 17 Kane Hames, 18 Ofa Tu’ungafasi, 19 Scott Barrett, 20 Ardie Savea, 21 TJ Perenara, 22 Lima Sopoaga, 23 Anton Lienert-Brown;

Austrália

Tries: Folau, Hooper, Foley, Genia e Beale

Conversões: Foley (2)

15 Israel Folau, 14 Dane Haylett-Petty, 13 Tevita Kuridrani, 12 Kurtley Beale, 11 Henry Speight, 10 Bernard Foley, 9 Will Genia, 8 Sean McMahon, 7 Michael Hooper (c), 6 Ned Hanigan, 5 Adam Coleman, 4 Rob Simmons, 3 Allan Alaalatoa, 2 Stephen Moore, 1 Scott Sio;

Suplentes
: 16 Tatafu Polota-Nau, 17 Tom Robertson, 18 Sekope Kepu, 19 Rory Arnold, 20 Lopeti Timani/Jack Dempsey, 21 Nick Phipps, 22 Reece Hodge, 23 Curtis Rona;

 

PaísApelidoJogosPontos
Nova ZelândiaAll Blacks628
AustráliaWallabies615
África do SulSpringboks614
ArgentinaLos Pumas60

 

Foto: Getty Images/ARU