ARTIGO ATUALIZADO – Neste sábado o Brasil entrará em campo na Europa pela primeira vez na história de seu XV quando encara a já bem conhecida Alemanha pela terceira vez em dois anos. Serão ao todo dois duelos entre brasileiros e alemães neste mês, com o primeiro ocorrendo em Heidelberg, “casa do rugby alemão”, no humilde Fritz-Grunebaum-Sportpark.

 

A equipe selecionado por Rodolfo Ambrosio é bem diferente daquela que foi superada em Blumenau (29 x 12) e em São Paulo (31 x 05) no fim do ano passado, com apenas 15 dos 26 jogadores chamados para a gira de 2016 tendo participado de ao menos um dos dois jogos de 2015. O time mudou bem também mudou bastante com relação ao time que entrou em campo pela última vez, em junho, em amistoso contra o Quênia, com apenas 12 atletas mantidos.

 

- Continua depois da publicidade -

Para Daniel Gregg, auxiliar técnico dos Tupis, “estamos vindo com uma equipe de jogadores novos de idade e novos no grupo. E com isso a ideia é dar mais experiência para este grupo para as próximas competições visando a classificatória. Esses jogadores terão a oportunidade de mostrar a evolução que vem tendo na Academias e se firmar na equipe”.

 

O ex jogador dos Tupis, artilheiro histórico da seleção brasileira, ainda analisou o time alemão, que largou o mês com uma inédita vitória sobre o Uruguai por 24 x 21. “Serão dois jogos muito duros. A Alemanha vem de vitória contra o Uruguai e parece esta motivada. Sabemos que farão algumas trocas para este jogo, mas isso provavelmente não fará o jogo menos difícil. Por outro lado os jogadores do Brasil estão muito focados e treinaram muito bem nesta semana aqui em Heidelberg”. E ressaltou, “na coletiva de imprensa, os alemães elogiaram muito nossa campanha no Americas Rugby Championship e no Sul-Americano deste ano”.

 

A seleção alemã está mais forte, contando agora com atletas que atuam no rugby profissional da África do Sul e da França. Já o Brasil apresentará uma composição nova, com destaque para Coghetto sendo testado de abertura ao lado do scrum-half Beukes. Moisés vestirá a 12, enquanto os irmãos Sancery estarão novamente como titulares na linha. Ige, que a princípio só viajaria como auxiliar técnico, foi escalado como titular ao lado de Nick (capitão) e Gelado em uma poderosa terceira linha brasileira, ao passo que Yan e Caique, oriundos do rugby de clubes argentino, combinarão na primeira linha ao lado de Chabal, de hooker.

 

Esta é a segunda gira brasileira para fora das Américas, a primeira desde a Copa das Nações de 2011, quando os Tupis estiveram em Dubai. Depois dos jogos contra a Alemanha nos dois próximos sábado o Brasil fecha a gira pegando Portugal, no dia 1º de dezembro, em Coimbra.

 

O primeiro jogo entre brasileiros e alemães não terá transmissão de TV ou internet.

 

alemanha logo aguiaversus(12)tupi logo

12h00 – Alemanha x Brasil, em Heidelberg

Árbitro: Iñigo Atorrasagasti (Espanha)

 

Alemanha: 1. Julius Nostadt (Chambéry, França/3a divisão), 2. Dasch Barber (False Bay, África do Sul/clube amador), 3. Samy Füchsel (Albi, França/2a divisão), 4. Eric Marks (La Rochelle, França/Top14 – intermédia), 5. Michael Poppmeier (Heidelberger RK), 6. Jaco Otto (Heidelberger RK), 7. Adrien Theisinger (sem clube), 8. Jarrid Els (Heidelberger RK), 9. Tim Menzel (Strasbourg, França/4a divisão), 10.Raynor Parkinson (Heidelberger RK), 11. Marvin Dieckmann (RG Heidelberg), 12. Carlos Soteras-Merz (Pforzheim), 13. Marcel Coetzee (Sharks, África do Sul/Currie Cup), 14. Steffen Liebig (Heidelberger RK), 15. Harris Aounallah (Heidelberger RK);

Suplentes: 16. Dale Garner (Heidelberger RK), 17. Jörn Schröder (Heidelberger RK), 18. Chris Howells (SC 1880 Frankfurt), 19. Timo Vollenkemper (Heidelberger RK), 20. Sebastian Ferreira (EP Kings, África do Sul/Currie Cup), 21. Daniel Koch (Germania List), 22. Oliver Paine (Pforzheim), 23. Clemens von Grumbkow (Neuenheim);

 

Brasil: 1 Jonatas “Chabal” Paulo (Band Saracens), Yan Rossetti (CUBA – Argentina), 3 Caique Silva (Niterói), 4 Gabriel Paganini (Band Saracens), 5 Lucas “Bruxinho” Piero (Desterro), 6 Cléber “Gelado” Dias (SPAC/Wallys), 7 João Luiz “Ige” da Ros (Desterro), 8 Nick Smith (SPAC) (c), 9 Beukes Cremer (Poli), 10 Guilherme Coghetto (Desterro), 11 Stefano Giantorno (Niterói), 12 Moisés Duque (São José), 13 Felipe Sancery (São José), 14 Mateus Estrela (Niterói), 15 Daniel Sancery (São José);

Suplentes: 16 Daniel “Nativo” Danielewickz (Desterro), 17 Alexandre “Texugo” Figueiredo (Desterro), 18 Wilton “Nelson” Rebolo (São José), 19 Joabe de Souza (Band Saracens), 20 Matheus “Matias” Daniel (Jacareí), 21 Bruno Garcia (Jacareí), 22 Luan Smanio (Desterro), 23 Robert Tenório (Pasteur);

 

Histórico: 2 jogos e 2 vitórias da Alemanha. Último jogo: Brasil 07 x 31 Alemanha, em 2015 (amistoso);

 

Ranking Mundial

PosiçãoPaís
Nova Zelândia
Inglaterra
Austrália
Irlanda
África do Sul
Escócia
Gales
França
Argentina
10ºFiji
11ºJapão
12ºGeórgia
13ºItália
14ºTonga
15ºRomênia
16ºSamoa
17ºEstados Unidos
18ºUruguai
19ºRússia
20ºEspanha
21ºCanadá
22ºNamíbia
23ºHong Kong
24ºAlemanha
25ºPortugal
26ºHolanda
27ºBrasil
28ºChile
29ºBélgica
30ºQuênia
31ºCoreia do Sul
32ºRepública Tcheca
33ºSuíça
34ºPolônia
35ºUganda
36ºLituânia
37ºUcrânia
38ºMalta
39ºParaguai
40ºTunísia
41ºMoldávia
42ºColômbia
43ºSri Lanka
44ºMarrocos
45ºCazaquistão
46ºZimbábue
47ºMalásia
48ºMadagascar
49ºGuiana
50ºSenegal

 

Foto: João Neto/Fotojump

4 COMENTÁRIOS