ARTIGO COM VÍDEO – Dubai Sevens a todo vapor! Hora da largada para as temporadas 2016-17 da Série Mundial de Sevens 2016-17. Acompanhe conosco aqui os resultados e siga também nosso Twitter @portaldorugby.

 

Clique aqui para acessar a prévia da temporada 2016-17.

 

- Continua depois da publicidade -

Clique aqui para conferir a lista oficial de atletas do torneio.

 

Largada com força, mas sem vitórias para as Tupis

Nesta quinta-feira, o Brasil iniciou sua caminhada como seleção fixa da Série Mundial de Sevens Feminina pela primeira vez em sua história e fez jogos promissores, apesar de acabar o primeiro dia de jogos como a única equipes com três derrotas.

 

O primeiro desafio foi contra o Canadá, medalhista de bronze no Rio de Janeiro, e as Tupis foram muito bem, flertando com uma inédita vitória. O Brasil largou com inclusive certo domínio territorial, mas sofreu o primeiro try com Greenshields, a partir de roubada de bola no campo de defesa canadense. O Brasil respondeu rápido com Amanda fazendo o primeiro try brasileiro na nova temporada, com o ataque brasileiro trocando passes com muita qualidade e apoio no tempo certo. Antes do intervalo, no entanto, o Canadá aproveitou erros seguidos do Brasil para cruzar mais duas vezes o in-goal, com Watcham-Roy e Moleschi, quebrando os tackles.

 

As Tupis abriram o segundo tempo com Edninha fintando ea defesa vermelha e colocando o Brasil de novo na cola com o segundo try e, com 3 minutos para o fim, após longo trabalho com a bola em mãos, Baby arrancou para o try do empate, 19 x 19. Contudo, Charity Williams mostrou potência e correu mais de meio campo no finzinho para acabar com o sonho brasileiro, fazendo o try da vitória do Canadá, 26 x 19.

 

Depois, na segunda partida, o Brasil não sustentou mais um jogo em igualdade. Contra a Inglaterra, Mason e Watmore abriram logo 14 x 0 para as ingleses, mas Haline deu uma esperança com belo try na velocidade para o Brasil, reduzindo a desvantagem. Porém, Brennan e Wilson-Hardy puseram fim ao suspense com mais dois tries ingleses, 28 x 7.

 

Na partida de última rodada do grupo, as Tupis caíram contra a Espanha, 21 x 7. Quem saiu na frente foi o Brasil com try de Amanda, saindo com visão do lado cego e ruck, depois de grande jogada de mãos e passes rápidos do Brasil. A experiente Patricia Garcia fez o try da virada de 7 x 5 para as Leonas antes do segundo tempo. E após o intervalo a Espanha foi superior, se impondo com tries de Ribera e Garcia outra vez, com o Brasil sendo reduzida a 6 atletas por amarelo para a capitã Luiza, que foi uma das destaques brasileiras na quinta-feira.

 

Nos demais jogos Grupo C, Canadá e Inglaterra, como esperado, se impuseram sobre as Leonas e disputaram o primeiro lugar da chave, com as Canucks emergindo vitoriosas por 24 x 12.

 

No domingo, o Brasil ainda sofreria mais duas derrotas. A semifinal do 9o lugar, as Tupis não seguraram a Espanha, que venceu de novo, 22 x 07, tendo aberto 15 x 00. A jovem Bianca, de 18 anos, fez o único try brasileiro.

 

Já na decisão do 11o lugar, o Brasil caiu contra o decepcionante time dos Estados Unidos, que havia perdido para a ascendente Irlanda. As Águias largaram na frente dominantes, abrindo 26 x 00, mas as Tupis provaram capacidade de reação correndo para 3 tries no fim, com Baby duas vezes e Raquel, mas sem tempo para a virada.

 

Na disputa da novo Challenge Trophy, o troféu de 9o lugar, deu Irlanda sobre a Espanha.

 

África do Sul é a surpresa, Estados Unidos e França as decepções

No Grupo A, a África do Sul, equipe convidada e sem jogar um grande torneio desde 2015, foi a surpresa, conquistando uma grande vitória sobre os Estados Unidos, com destaque para a atuação da jovem Nadine, assegurando inesperada classificação às quartas de final. A Austrália, campeã olímpica, dominou a chave e passou em primeiro lugar, com a Rússia em segundo.

 

Já no Grupo B, a Nova Zelândia também venceu todos os seus jogos, mas a segunda colocada foi Fiji, que despachou a França e mostrou que “chegou para ficar”. Fiji, porém, escorregou contra a Irlanda, em empate que mostrou alguma evolução nas verdes, enquanto as francesas bateram as irlandesas para avançarem às quartas de final sem brilho.

 

Nova Zelândia volta a brilhar

Nas finais pelo título, a Nova Zelândia cresceu e faturou sua primeira etapa desde 2015. As neozelandesas passaram com contundência nas quartas pela África do Sul e nas semis pela Rússia, encontrando a atual campeã olímpica e mundial Austrália na final.

 

As australianas haviam despachado França e Inglaterra nas quartas e semis e o encontro reeditou a decisão do Rio 2016. Com novas caras, as Ferns emergiram vitoriosas, com try de Portia Woodman, que havia caído em choro no Rio por erros que cometera na final, e dois tries da revelação Cordero-Tufuga. 17 x 05.

 

Nas demais partidas, destaque para Fiji, que arrebatou o quinto lugar vencendo o Canadá, que desapontou em Dubai, e para a Rússia, que havia ficado de fora do Rio 2016 e deu seu recado de que ainda é forte conquistando o terceiro lugar com vitória sobre a Inglaterra.

 

SWS 2015-16 logoDubai Sevens copy copy

Dubai Sevens – 1ª etapa da Série Mundial de Sevens Feminina 2016-17 – em Dubai, Emirados Árabes Unidos

Quinta-feira, dia 1º de dezembro

Inglaterra 31 x 07 Espanha

Canadá 26 x 19 Brasil

França 14 x 21 Fiji

Nova Zelândia 27 x 05 Irlanda

Estados Unidos 12 x 10 Rússia

Austrália 38 x 05 África do Sul

 

Inglaterra 28 x 07 Brasil

Canadá 27 x 07 Espanha

França 24 x 14 Irlanda

Nova Zelândia 19 x 10 Fiji

Estados Unidos 07 x 26 África do Sul

Austrália 20 x 07 Rússia

 

Espanha 21 x 05 Brasil

Canadá 24 x 12 Inglaterra

Fiji 17 x 07 Irlanda

Nova Zelândia 31 x 00 França

Rússia 19 x 14 África do Sul

Austrália 19 x 10 Estados Unidos

Classificação

Grupo A: 1 Austrália, 2 Rússia, 3 África do Sul, 4 Estados Unidos;

Grupo B: 1 Nova Zelândia, 2 Fiji, 3 França, 4 Irlanda;

Grupo C: 1 Canadá, 2 Inglaterra, 3 Espanha, 4 Brasil;

 

Sexta-feira, dia 02 de dezembro – Das 03h00 às 11h30

Quartas de final

Nova Zelândia 39 x 00 África do Sul

Canadá 07 x 17 Rússia

Fiji 17 x 19 Inglaterra

Austrália 42 x 00 França

 

Semifinais do Challenge Trophy

Espanha 22 x 07 Brasil

Estados Unidos 05 x 24 Irlanda

 

Semifinais pelo 5º lugar

África do Sul 12 x 39 Canadá

Fiji 31 x 12 França

 

Semifinais pelo Ouro

Nova Zelândia 24 x 05 Rússia

Inglaterra 10 x 31 Austrália

 

Finais

Brasil 17 x 26 Estados Unidos – 11º lugar

Espanha 12 x 14 Irlanda – Final Challenge Trophy (9º lugar)

África do Sul 05 x 31 França – Decisão do 7º lugar

Canadá 14 x 17 Fiji – Decisão do 5º lugar

Rússia 17 x 14 Inglaterra – Decisão do Bronze

Nova Zelândia 17 x 05 Austrália – Decisão do Ouro

 

*Horários de Brasília

 

SWS 2015-16 logoDubai Sevens copy copy

Dubai Sevens – 1ª etapa da Série Mundial de Sevens Masculina 2015-16 – em Dubai, Emirados Árabes Unidos

Grupo A: Fiji, Argentina, Gales e Canadá

Grupo B: África do Sul, Estados Unidos, Escócia e Uganda

Grupo C: Nova Zelândia, Inglaterra, Samoa e Rússia

Grupo D: Austrália, Quênia, França e Japão

 

Clique aqui para conferir as listas completas de atletas do torneio.

 

Sexta-feira, dia 2 de dezembro – Das 03h00 às 16h00

Quênia 14 x 24 França

Austrália 19 x 14 Japão

Estados Unidos 05 x 14 Escócia

África do Sul 46 x 00 Uganda

Argentina 19 x 21 Gales

Fiji 26 x 19 Canadá

Inglaterra 19 x 07 Samoa

Nova Zelândia 26 x 05 Rússia

 

Quênia 17 x 07 Japão

Austrália 28 x 00 França

Estados Unidos 29 x 07 Uganda

África do Sul 21 x 05 Escócia

Argentina 21 x 14 Canadá

Fiji 24 x 12 Gales

Inglaterra 38 x 07 Rússia

Nova Zelândia 26 x 21 Samoa

 

França x Japão

Austrália x Quênia

Escócia x Uganda

África do Sul x Estados Unidos

Gales x Canadá

Fiji x Argentina

Samoa x Rússia

Nova Zelândia x Inglaterra

 

Foto: Michael Lee – Taiwan Mike Photography – KLC – World Rugby