Hong Kong Sevens: Fiji campeão; Japão promovido; Brasil eliminado

ARTIGO COM VÍDEOS – O mais tradicional e badalado torneio de sevens do mundo atraiu as atenções do mundo neste fim de semana. O Hong Kong Sevens, a 7ª etapa da Série Mundial de Sevens Masculina de 2015-16, coroou, mais uma vez, Fiji, campeão do torneio e mais líder do que nunca da temporada, e o Japão, campeão do Torneio Qualificatório, o torneio decisivo da segunda divisão mundial, garantindo sua promoção à elite mundial da temporada 2016-17. O Brasil também esteve em campo na luta pelo título do Qualificatório, mas se despediu da Ásia sem vitórias.

 

No próximo final de semana, o circuito irá desembarcar em Cingapura, que receberá seu primeiro torneio da Série Mundial de Sevens desde 2006. Com a equipe promovida à próxima temporada já conhecida, resta agora definir a seleção rebaixada e, claro, o grande campeão, em uma briga que está cada vez melhor, em uma verdadeira prévia do Jogos Olímpicos. Restam apenas 3 torneios para o fim!

 

Tupis: estreia ruim e eliminação na primeira fase

Os Tupis largaram com duas pesadas derrotas no primeiro dia em Hong Kong. A estreia contra o Japão terminou em derrota por 36 x 0, com os japoneses dominando por completo as ações e se provando superiores, abrindo 24 x 0 só no primeiro tempo. No total, 6 tries não respondidos a favor dos asiáticos e, para piorar, no jogo seguinte o Marrocos surpreendeu derrotando Tonga por 19 x 17. Os marroquinos chegaram a abrir 14 x 0 no primeiro tempo, desestabilizando o oponente, que ainda correu atrás do placar, mas sem sucesso.

 

No segundo duelo, os Tupis encararam uma seleção de Tonga jogando por sua vida e não conseguiram a vitória. O jogo começou parelho, com Tonga abrindo o placar e o Brasil igualando pouco depois, com try de Felipe Sancery. O Brasil cresceu e teve maior posse de bola, passando mais tempo no campo ofensivo, mas sem conseguir achar espaços na defesa polinésia. Os Tupis erraram demais e cometeram uma série de penais enquanto tinham a posse de bola, não conseguindo levar real perigo à defesa adversária. E o golpe fatal aconteceu a 2 minutos do fim, com Alemão recebendo amarelo e Tonga cruzando o in-goal para seu terceiro e decisivo try. Sem tempo, o Brasil voltou a errar e Tonga deu números finais com o quarto try a seu favor no lance final. 26 x 5.

 

Na abertura do segundo dia, o Brasil teve seu destino selado com a eliminação prematura. Os Tupis encararam o Marrocos e precisavam de uma vitória larga, mas deixaram o torneio apenas com um empate. O Brasil largou com tudo, abrindo 12 x 0 com tries de Alemão e Felipe Sancery. Mas, Laurent recebeu cartão amarelo e o homem a menos custou muito caro aos Tupis, que cederam 2 tries antes do intervalo, com Abid e Jaoudat, deixando o Marrocos empatar. Para piorar, o segundo tempo arrancou com mais um try do time do Norte da África, que virava o placar para 19 x 12, com Qadiri. Com 7 jogadores de novo em campo, o Brasil passou a pressionar, mas não foi capaz de garantir a virada. Daniel Sancery fez um try no finzinho, igualando tudo, mas a corrida contra o tempo já estava perdida. 19 x 19, Tupis eliminados pela primeira vez na primeira fase do Hong Kong Sevens.

 

Japão volta à elite do sevens

Além da eliminação prematura do Brasil, a outra decepção da primeira fase ficou por conta da Papua Nova Guiné, que perdeu todos os seus jogos, inclusive para o México (com os mexicanos provando sua evolução). A sensação, por outro lado, acabou sendo a Alemanha, que fez uma campanha muito boa na primeira fase, empatando com o Zimbábue e vencendo as lhas Cayman e os anfitriões de Hong Kong.

 

Nas quartas de final, a decepção coube à Espanha, que teve uma campanha impecável na primeira fase, mas caiu diante de Hong Kong por 12 x 7, com um try já nos acréscimos para os donos da casa. Já o Chile, esperança sul-americana, não conseguiu superar o Zimbábue, verdadeiro algoz das seleções da América do Sul no Qualificatório, 19 x 5, ao passo que a Alemanha se impôs sobre o Marrocos, 19 x 14, em jogo duro. Por sua vez, o Japão voltou a vencer Tonga e sem sustos: 33 x 00.

 

Nas semifinais, o brilho alemão se apagou e Hong Kong se ergueu da derrota na fase de grupos para eliminar a Alemanha com triunfo por 17 x 7, no embalo da torcida. Enquanto isso, o Japão venceu novamente sem sofrer pontos, 22 x 0 contra o Zimbábue. E foram precisos justamente 6 jogos para que os japoneses cedessem um mísero try. Foi na final contra Hong Kong, que deu trabalho no clássico asiático, empurrado pela torcida. Mas, os japoneses se impuseram novamente, 24 x 14, com Lomano Lemeki fazendo um heróico hat-trick (3 tries).

 

Em 2016-17, o Japão se tornará uma das 15 seleções centrais da Série Mundial de Sevens, ganhando o direito de disputar todas as etapas do circuito.

 

Fiji mais líder do que nunca

No Torneio Principal, sexta e sábado foram dias de jogos da fase de grupos. No Grupo A, a Nova Zelândia se impôs em primeiro lugar, batendo França (19 x 17, de virada, após sair perdendo por 17 x 0, com Vakatawa inspirando os Bleus) e Quênia no sufoco, além de Samoa. Os quenianos avançaram pelo saldo de pontos, vencendo os samoanos, mas perdendo para os franceses.

 

No Grupo B, a Inglaterra roubou a cena com uma grande vitória por 21 x 14 sobre a África do Sul, em dia inspirado de Dan Norton e Tom Mitchell. Já no Grupo C, a Austrália foi superada pelos Estados Unidos, 22 x 7. No Grupo D, sem surpresas, com Fiji se impondo sobre Gales, Canadá e a convidada Coreia do Sul.

 

O domingão foi de mata-mata emocionante. Nas quartas de final, nenhuma surpresa deu as caras. A Nova Zelândia venceu Gales (com hat-trick de Baker), Fiji superou o Quênia, a África do Sul se reergueu e fez seu melhor jogo contra os Estados Unidos (28 x 0, indiscutíveis, com 2 tries do artilheiro Senatla) e a Austrália despachou a Inglaterra, que ensaiava seu retorno ao Top 4 (14 x 5, com Van der Waldt e Clark cruzando o in-goal para os aussies, enquanto Dan Norton chegava à marca de 200 tries no sevens).

 

Nas semifinais, Nova Zelândia e África do Sul fizeram partida dramática, decidida apenas no ponto de ouro da prorrogação. Ormond e Agaba fizeram os tries no tempo regulamentar que levaram o jogo em 7 x 7 ao tempo extra e quem levou a melhor foram os All Blacks, com Ware anotando o heróico try da vitória. Já na outra semifinal, Fiji não deu chances à Austrália e voou, fazendo 34 x 5, com direito a 5 tries a aula de offloads.

 

Nas finais menores, novamente destaque para a Rússia, que deu mais um passo para se distanciar de Portugal na luta contra o rebaixamento. Os russos venceram a Coreia e o Canadá e terminaram com o título do Shield (Estímulo), enquanto os portugueses encerraram mais um torneio (o 5º em 7 etapas) no último lugar (ao lado dos coreanos). No Bowl (Bronze), o título ficou com a Argentina, derrotando a Escócia na final, enquanto o Plate (Prata) foi da Inglaterra, que venceu os Estados Unidos por 19 x 0. Por sua vez, a disputa do 3º lugar foi emocionante, com a África do Sul vencendo a Austrália por 14 x 12, resistindo à pressão final dos australianos.

 

A grande final opôs as duas grandes potências do circuito, enfrentando-se, incrivelmente, pela primeira vez em uma final nesta temporada. Fiji e Nova Zelândia fizeram um primeiro tempo tenso, de poucos espaços e com 7 x 7 no placar. Mas, os fijianos cresceram no segundo tempo e mostraram toda sua qualidade técnica. Taliga e Kunatani fizeram mais dois tries par Fiji e a defesa funcionou, impedindo a reação All Black. 21 x 7, Fiji campeão de Hong Kong pela 16ª vez na história, e pelo segundo ano consecutivo.

 
A bala americana Perry Baker terminou Hong Kong como o artilheiro em tries, 7, seguido do inglês Dan Norton. Mas, Senatla segue no topo da artilheiro da temporada, com 48.

 

Este foi a terceira etapa conquistada por Fiji na atual temporada da Série Mundial de Sevens, igualando à Nova Zelândia em número de conquistas, mas abrindo 5 pontos de frente na primeira posição da classificação geral. A África do Sul, com o terceiro lugar (e tendo conquistado apenas uma etapa até aqui) soma agora 1 ponto a menos que a Nova Zelândia e 6 a menos que Fiji. A briga ainda segue em aberto pela conquista da temporada antes do Rio 2016.

 

SWS 2015-16 logo

Hong Kong Sevens – 7ª etapa da Série Mundial de Sevens Masculina 2015-16 – em Hong Kong, China

Torneio Principal

Grupo A: Nova Zelândia, Samoa, França e Quênia

Grupo B: África do Sul, Escócia, Inglaterra e Rússia

Grupo C: Austrália, Estados Unidos, Argentina e Portugal

Grupo D: Fiji, Gales, Canadá e Coreia do Sul

 

Torneio Qualificatório

Grupo E: Zimbábue, Hong Kong, Alemanha e Ilhas Cayman

Grupo F: Espanha, Chile, Papua Nova Guiné e México

Grupo G: Japão, Tonga, Brasil e Marrocos

 

*Horários de Brasília

Sexta-feira, dia 08 de abril

Japão 36 x 00 Brasil

Tonga 17 x 19 Marrocos

Espanha 33 x 00 Papua Nova Guiné

Chile 29 x 14 México

Zimbábue 14 x 14 Alemanha

Hong Kong 43 x 00 Ilhas Cayman

Japão 45 x 00 Marrocos

Tonga 26 x 05 Brasil

Espanha 41 x 00 México

Chile 19 x 07 Papua Nova Guiné

Zimbábue 35 x 05 Ilhas Cayman

Hong Kong 05 x 12 Alemanha

Samoa 00 x 24 Quênia

Gales 40 x 14 Coreia do Sul

Estados Unidos 21 x 05 Portugal

Escócia 28 x 15 Rússia

Nova Zelândia 19 x 17 França

Fiji 19 x 17 Canadá

Austrália 28 x 00 Argentina

África do Sul 14 x 21 Inglaterra

___________

 

Marrocos 19 x 19 Brasil

Papua Nova Guiné 15 x 17 México

Alemanha 48 x 00 Ilhas Cayman

Japão 31 x 00 Tonga

Espanha 19 x 00 Chile

Zimbábue 19 x 07 Hong Kong

 

Classificação

Grupo E: 1 Alemanha, 2 Zimbábue, 3 Hong Kong, 4 Ilhas Cayman

Grupo F: 1 Espanha, 2 Chile, 3 México, 4 Papua Nova Guiné

Grupo G: 1 Japão, 2 Marrocos, 3 Tonga, 4 Brasil

 

Sábado, dia 09 de abril

*a partir das 00h18

Samoa 24 x 12 França

Nova Zelândia 05 x 00 Quênia

Gales 24 x 10 Canadá

Fiji 57 x 00 Coreia do Sul

Estados Unidos 26 x 14 Argentina

Austrália 45 x 07 Portugal

Escócia 00 x 19 Inglaterra

África do Sul 50 x 00 Rússia

França 17 x 10 Quênia

Nova Zelândia 28 x 10 Samoa

Canadá 31 x 14 Coreia do Sul

Fiji 36 x 10 Gales

Argentina 24 x 00 Portugal

Austrália 07 x 22 Estados Unidos

Inglaterra 12 x 12 Rússia

África do Sul 31 x 00 Escócia

 

Classificação

Grupo A:  1 Nova Zelândia, 2 Quênia, 3 França, 4 Samoa

Grupo B: 1 Inglaterra, 2 África do Sul, 3 Escócia, 4 Rússia

Grupo C: 1 Estados Unidos, 2 Austrália, 3 Argentina, 4 Portugal

Grupo D: 1 Fiji, 2 Gales, 3 Canadá, 4 Coreia do Sul

Torneio Qualificatório – Quartas de final

*a partir das 07h34

Espanha 07 x 12 Hong Kong

Alemanha 19 x 14 Marrocos

Zimbábue 19 x 05 Chile

Japão 33 x 00 Tonga

___________

*a partir das 22h30

Torneio Principal – Quartas de final Bronze

França 45 x 00 Coreia do Sul

Argentina 22 x 00 Rússia

Canadá 10 x 19 Samoa

Escócia 05 x 00 Portugal

 

Domingo, dia 10 de abril

Torneio Principal – Quartas de final Ouro

Nova Zelândia 19 x 00 Gales

Estados Unidos 00 x 28 África do Sul

Fiji 12 x 10 Quênia

Inglaterra 05 x 14 Austrália

 

Torneio Qualificatório –  Semifinais- 01h26 e 01h48

Hong Kong 17 x 07 Alemanha

Zimbábue 00 x 22 Japão

 

Semifinais Estímulo

Coreia do Sul 07 x 29 Rússia

Canadá 19 x 05 Portugal

 

Semifinais Bronze

França 07 x 14 Argentina

Samoa 14 x 19 Escócia

 

Semifinais Prata

Gales 00 x 27 Estados Unidos

Quênia 00 x 33 Inglaterra

 

Torneio Qualificatório – Final

Japão 24 x 14 Hong Kong – Japão promovido à Série Mundial de Sevens 2016-17

 
Semifinais Ouro

África do Sul 07 x 12 Nova Zelândia

Fiji 34 x 05 Austrália

 

Final Estímulo

Rússia 19 x 14 Canadá

 

Final Bronze

Argentina 26 x 0 Escócia

 

Final Prata

Estados Unidos 00 x 19 Inglaterra

 

3º lugar

África do Sul 14 x 12 Austrália

 

Final Ouro

Fiji 21 x 07 Nova Zelândia

 

Seleção*Pontos – Classificação GeralEtapa 10 (Inglaterra)Etapa 9 (França)Etapa 8 (Singapura)Etapa 7 (Hong Kong)Etapa 6 (Canadá)Etapa 5 (Estados Unidos)Etapa 4 (Austrália)Etapa 3 (Nova Zelândia)Etapa 2 (África do Sul)Etapa 1 (Emirados Árabes)
Fiji18115191922152217171322
África do Sul17119131717191715192213
Nova Zelândia15813101219221322221015
Austrália13407121015171919131012
Argentina11912151508051013121910
Estados Unidos11717050712121510101217
Quênia9803102210011012101505
Inglaterra9210070513050110150719
Samoa8905221305130307080310
Escócia8722080807100505070807
França8510171005070701031708
Gales5408020210100803010505
Canadá4005010102080208050503
Rússia2802050303030502020201
Portugal2101030501020105010101
*Apenas as seleções centrais
EtapaCampeão
Etapa 1 (Emirados Árabes)Fiji
Etapa 2 (África do Sul)África do Sul
Etapa 3 (Nova Zelândia)Nova Zelândia
Etapa 4 (Austrália)Nova Zelândia
Etapa 5 (Estados Unidos)Fiji
Etapa 6 (Canadá)Nova Zelândia
Etapa 7 (Hong Kong)Fiji
Etapa 8 (Singapura)Quênia
Etapa 9 (França)Samoa
Etapa 10 (Inglaterra)Escócia

– 15º colocado = rebaixamento.

Pontuação:
1º – 22 pontos; 2º – 19 pts; 3º – 17 pts; 4º – 15 pts;
5º – 13 pts; 6º – 12 pts; 7º e 8º – 10 pts;
9º – 8 pts; 10º – 7 pts; 11º e 12º – 5 pts;
13º – 3 pts; 14º – 2 pts; 15º e 16º – 1 pt.

Brasil:

André Luiz Nascimento Silva ‘Boy’ (SPAC);

Daniel Henry Sancery (Albi, França);

David Harvey (NSW Country Eagles, Austrália);

Felipe Claro Sant’Ana Silva ‘Alemão’ (SPAC);

Felipe Henry Sancery (Albi, França);

Juliano Ernani Melengray Fiori (Richmond, Inglaterra);

Laurent José Bourda Couhet (Bandeirantes Saracens);

Lucas Amadeu Muller (Desterro);

Lucas Rodrigues Duque ‘Tanque’ (São José);

Martin Schaefer (SPAC);

Matheus Cruz (Jacareí)

Stefano Giantorno (San Luis, Argentina)

Técnico: Andres Romagnoli

 

Comentários