Bianca cravou 2 tries para as Yaras, mas a vitória foi do Canadá. Foto: Mike Lee - KLC fotos for World Rugby

Hoje o assunto são as Yaras! Vamos aos Top 5 momentos da Seleção Brasileira Feminina em 2018!

 

5 – Vitórias sobre Hong Kong e Cazaquistão

Na 5a posição estão as duas vitórias das Yaras no Hong Kong Sevens, a 2a divisão mundial. Triunfos por 38 x 00 sobre Hong Kong e 22 x 10 sobre o Cazaquistão. Porém o torneio não acabou como o Brasil queria. Foram na sequência derrotas para China (31 x 05) e Bélgica (17 x 12), adiando o sonho de voltar à elite mundial.

- Continua depois da publicidade -

 

4 – Brasil vence a Rússia no Canadá

As Yaras jogaram apenas um torneio da Série Mundial de Sevens. Foi a etapa do Canadá e o Brasil saiu do torneio com uma vitória animadora: 24 x 19 sobre a Rússia, na prorrogação, com try de ouro de Bianca!

 

 

 

3 – Título na altitude boliviana

O primeiro semestre foi de título para as Yaras. Em maio, as seleções brasileiras de sevens foram a Cochabamba, na Bolívia, para as disputas dos Jogos Sul-Americanos, a “Olimpíada da América do Sul”. E as Yaras faturaram o título ao derrotarem Colômbia, Paraguai, Uruguai, Peru, Bolívia (impressionantes 65 x 00) e Argentina (34 x 05). Segunda medalha de ouro seguida no evento para as Yaras.

 

2 – Campeãs sul-americanas como sempre

O título brasileiro no segundo semestre foi do Campeonato Sul-Americano. O 14a na história e, como sempre, de maneira invicta.

O torneio foi em Montevidéu e as Yaras despacharam no caminho para o título Costa Rica, Peru, Colômbia, Uruguai (nas quartas), Peru de novo (na semifinal) e Argentina (17 x 10 na grande final, suada).

 

1 – Copa do Mundo com 2 vitórias e try memorável de Bianca

O grande momento de 2018 foi, é claro, a participação pela 3a vez na história da Copa do Mundo de Sevens. A competição foi em São Francisco, nos Estados Unidos, com o estádio cheio e vibrante.

Na estreia, as Yaras perderam para o Canadá (43 x 19), mas com aplausos para lindo try de Bianca. Depois, as brasileiras perderam para o Japão (19 x 14) e foram lançadas às disputas pelo 13o lugar.

Na reta final, as Yaras sorriram, superando a Papua Nova Guiné (15 x 12) e a África do Sul na decisão (22 x 00, na melhor atuação no torneio). 13o lugar para as Yaras, a 2a melhor campanha na Copa do Mundo na história.