Tempo de leitura: 4 minutos

Uma final épica de Super 8 foi vista no Estádio do SESI em Blumenau com o Jacareí vencendo o Farrapos por 18 x 15 e levantando pela primeira vez em sua história o título nacional de XV. Foi uma partida que entrou para o panteão das grandes finais de Campeonato Brasileiro, com o Farrapos liderando o placar por mais de um try de vantagem até faltarem 2 minutos para o final do duelo, quando os Jacarés abocanharam dois tries milagrosos para erguerem a taça, negando ao Rio Grande do Sul sua primeira conquista.

Clique aqui para assistir ao vídeo do SporTV com os melhores momentos do jogo.

A partida começou estudada, com os dois times sabendo da qualidade ofensiva do oponente. O Jacareí foi o primeiro a ter chance de inaugurar o placar, com Leo desperdiçando penal aos 4′. Facundo não desperdiçou a primeira chance do time de Bento Gonçalves, colocando 3 x 0 com penal aos 11′.

- Continua depois da publicidade -

O pack do Farrapos mostrava sua força, enquanto o Jacareí era mais agudo com as mãos, porém cometia muitos erros. Aos 21′, Leo teve outro penal para os paulistas, mas novamente não foi feliz no arremate. Aos 26′, a situação parecia se complicar para o lado dos Jacarés, com Blade recebendo amarelo. Porém, o Farrapos não aproveitou a superioridade numérica e, aos 34′, foi a vez de Facundo sucumbir para o vento catarinense errando penal. Ainda assim, o Farrapos foi melhor na reta final do primeiro tempo e, após chute errado de Drudi, na mão de Duda, Perro chutou para o fundo do campo, Leo se complicou com a bola e ela sorriu para Mauri fazer o primeiro try do jogo para os alviverdes. 10 x 00 com a conversão.

Antes do intervalo, no entanto, o Farrapos cedeu um penal para o Jacareí e Leo não titubeou, inaugurando o marcador para o lado paulista. 10 x 03 no intervalo, com um primeiro tempo destacável da defesa gaúcha.

O segundo tempo voltou com os Jacarés propondo o jogo, pressionando na base e parando na sólida parede defensiva gaúcha. Apenas aos 55′, após muita insistência, o Jacareí arrancou penal para Leo reduzir novamente o placar em 10 x 06. Mas, o troco do Farrapos foi imediato, com os gaúchos emplacando aos 60′ um maul no campo ofensivo finalizado por Lafa. Segundo try na conta e uma diferença considerável no placar a favor do clube de Bento Gonçalves. 15 x 06, com a conversão perdida.

A pressão se voltou contra o Jacareí, que precisava somar tries. Aos 63′, Josh deixou claro isso rejeitando um penal para lançar os Jacarés no ataque. A defesa do Farrapos seguiu sólida, levando o Jacareí aos erros e abrindo chances para os contra golpes. Aos 66′, o Farrapos quase liquidou a fatura em joga de mãos que encaixou, com a bola chegando a Teco na ponta. Mas Estrela desferiu um tackle salvador livrando o time do Vale do nocaute.

Nos minutos finais, no entanto, o Farrapos errou nas decisões. Aos 70′, Facundo não lançou seu time ao campo ofensivo com chute, apostando na linha alviverde. A estratégia não deu certo e deixou novamente o Jacareí ganhar o controle territorial nos minutos finais, com Perro ainda levando amarelo. Com pick and go atrás de pick and go, o Jacareí pressionou nas 22 contra a defesa gaúcha e foi induzido aos erros, elevando o nervosismo do lado valeparaibano com o jogo de mãos também não encaixando.

A insistência dos Jacarés deu frutos no fim, quando tudo parecia já estar perdido. Aos 79′, a bola esticada até a ponta encontrou o asa Matheus Cláudio, que correu para o try paulista. A arbitragem garantiu ainda que haveria o chute de reinício, mas a conversão perdida por Josh colocava o Jacareí ainda um try atrás, com 15 x 11 no marcador.

E o Farapos cometeu um erro fatal, chutando a bola de reinício direto para fora, entregando ao Jacareí um scrum final no meio. Os valeparaibanos mantiveram a posse de bola fase a fase, ganhando um penal crucial com o tempo já esgotado. Josh colocou a bola para a lateral, como permitem as novas leis, arrancando um lateral dentro das 22 de ataque. A posse foi garantida na formação, uma nova fase foi feita e Josh enxergou Cruz livre na ponta, esticando o passe para o try da vitória e do título dos Jacarés. 15 x 14, com Leo chutando a conversão que deu o placar final em 18 x 15 para o Jacareí, novo campeão brasileiro de rugby, diante de um incrédulo Farrapos, que teve a taça nas mãos.

Depois de ser campeão brasileiro de sevens masculino no começo deste ano, o Jacareí subiu no lugar mais alto do país também no XV, “unificando” os títulos. Feito que apenas seu vizinho São José havia conseguido.

 

18versus copiar15

Jacareí 18 x 15 Farrapos

Árbitro: Xavier Vouga

Auxiliares de linha: Murilo Bragotto e Cauã Ricardo

Local: Estádio do SESI – Blumenau, SC

 

Jacareí

Tries: Matheus Cláudio e Matheus Cruz

Conversões: Leo Ceccarelli (1)

Penais: Leo Ceccarelli (2)

1 Levy, 2 Jhon, 3 Luan, 4 Piru, 5 Loucão, 6 Loirão, 7 Mathias, 8 Nego, 9 Cruz, 10 Leo, 11 Luk, 12 Josh, 13 Fredão, 14 Gutão, 15 Drudi;

Farrapos

Tries: Maurício “Mauri” Canterle e Lafaiete “Lafa” de Paula

Conversões: Facundo Flores (1)

Penais: Facundo Flores (1)

1 Montinho, 2 Pequeno, 3 Daian, 4 Pardal, 5 Pablo, 6 Perro, 7 Lafa, 8 Vini, 9 Facundo, 10 Mauri, 11 Teco, 12 Javi, 13 Bigode, 14 Duda, 15 Civardi;


AnoCampeãoCidade  
1964SPACSão Paulo (SP)
1965SPACSão Paulo (SP)
1966SPACSão Paulo (SP)
1967SPACSão Paulo (SP)
1968SPACSão Paulo (SP)
1969SPACSão Paulo (SP)
1970São Paulo BarbariansSão Paulo (SP)
1971São Paulo BarbariansSão Paulo (SP)
1972FUPESão Paulo (SP)
1973MedicinaSão Paulo (SP)
1974SPACSão Paulo (SP)
1975SPACSão Paulo (SP)
1976*SPAC São Paulo (SP)NiteróiNiterói (RJ)
1977SPACSão Paulo (SP)
1978SPACSão Paulo (SP)
1979NiteróiNiterói (RJ)
1980AlphavilleBarueri (SP)
1981MedicinaSão Paulo (SP)
1982AlphavilleBarueri (SP)
1983*NiteróiNiterói (RJ)AlphavilleBarueri (SP)
1984NiteróiNiterói (RJ)
1985AlphavilleBarueri (SP)
1986NiteróiNiterói (RJ)
1987**AlphavilleBarueri (SP)PasteurSão Paulo (SP)
1988**AlphavilleBarueri (SP)BandeirantesSão Paulo (SP)
1989AlphavilleBarueri (SP)
1990NiteróiNiterói (RJ)
1991AlphavilleBarueri (SP)
1992AlphavilleBarueri (SP)
1993Rio BrancoSão Paulo (SP)
1994PasteurSão Paulo (SP)
1995BandeirantesSão Paulo (SP)
1996DesterroFlorianópolis (SC)
1997Rio BrancoSão Paulo (SP)
1998Rio BrancoSão Paulo (SP)
1999SPACSão Paulo (SP)
2000DesterroFlorianópolis (SC)
2001BandeirantesSão Paulo (SP)
2002São JoséSão José dos Campos (SP)
2003São JoséSão José dos Campos (SP)
2004São JoséSão José dos Campos (SP)
2005DesterroFlorianópolis (SC)
2006Rio BrancoSão Paulo (SP)
2007São JoséSão José dos Campos (SP)
2008São JoséSão José dos Campos (SP)
2009BandeirantesSão Paulo (SP)
2010São JoséSão José dos Campos (SP)
2011São JoséSão José dos Campos (SP)
2012São JoséSão José dos Campos (SP)
2013SPACSão Paulo (SP)
2014CuritibaCuritiba (PR)
2015São JoséSão José dos Campos (SP)
2016CuritibaCuritiba (PR)
2017JacareíJacareí (SP)
2018PoliSão Paulo (SP)
2019São JoséSão José dos Campos (SP)
2020Cancelado (pandemia)
2021Cancelado (pandemia)
2022-
Ranking de campeõesCidade/EstadoTítulos
SPACSão Paulo (SP)13
São JoséSão José dos Campos (SP)10
Alphaville Barueri (SP)9
NiteróiNiterói (RJ)6
BandeirantesSão Paulo (SP)4
Rio BrancoSão Paulo (SP)4
DesterroFlorianópolis (SC)3
CuritibaCuritiba (PR)2
MedicinaSão Paulo (SP)2
PasteurSão Paulo (SP)2
São Paulo BarbariansSão Paulo (SP)2
JacareíJacareí (SP)1
PoliSão Paulo (SP)1
FUPESão Paulo (SP)1
Itálico = equipe inativa/extinta
*Títulos divididos
**Divergência

 

Foto: Adriano Matos