Pasteur vence e respira na reta final. Jacareí é rebaixado no Super 8

ARTIGO COM VÍDEO – No último sábado, o Pasteur recebeu o Jacareí em partida decisiva para as duas equipes no Super 8. Os Franceses queriam se recuperar da derrota sofrida no último jogo contra o Band. Já o Jacareí buscava desesperadamente uma vitória que poderia dar mais um suspiro de vida na luta para permanecer no Super 8. As duas equipes proporcionaram um jogo de muita velocidade e com emoção até os últimos minutos.
 

O confronto iniciou com muita intensidade e velocidade de ambas as equipes e logo aos quatro minutos, o Jacareí mostrou que estava disposto a vencer a qualquer custo e Helder Garcia em chute certeiro converteu um penal, abrindo o placar para os visitantes. A resposta dos donos da casa foi imediata com Pedro di Pilla anotando um chute dois minutos depois. Nos primeiros dez minutos as duas equipes buscaram testar o fundo de cada time com bastantes chutes estratégicos, tentando provocar um erro e ganhar metros preciosos. Aos 15 minutos, Helder Garcia converteu mais um chute de penal, desempatando a partida e colocando os visitantes na frente do placar.
 

Os donos da casa demonstraram mais nervosismo no início da partida, cometendo muitos penais e dando a oportunidade para o Jacareí distanciar no placar e aos 19 minutos, o terceira linha do Pasteur Guilherme Pieri – “Guilherme” cometeu mais um penal e recebeu cartão amarelo por falta reiterada, deixando sua equipe com 14 jogadores por dez minutos e dando a oportunidade para Helder colocar mais três pontos no placar.
 

Os Jacarés se aproveitaram do desfalque do Pasteur e aumentaram seu volume de jogo explorando a velocidade de seus atletas e a proposta logo deu resultado: aos 29 minutos o oitavo Matheus Daniel recebeu a bola em velocidade, conseguiu furar a linha de defesa dos franceses e em corrida de mais de 30 metros serviu o scrumhalf Matheus Cruz que só teve o trabalho de apoiar a bola no fundo do ingoal do Pasteur. Os primeiros trinta minutos dos donos da casa foram complicados e as jogadas de linha, grande destaque da equipe paulistana, não encaixava. A comunicação entre linha e scrum persistia em não funcionar e o placar a favor do Jacareí demostrava que as coisas não estavam a favor dos franceses.
 

Mesmo com o cenário negativo, os donos da casa não se intimidaram com a desvantagem no placar e, aos 31 minutos, Beukes começou a organizar a equipe, afinando a comunicação e colocando em prática o plano de jogo dos Galos, que logo deu resultados e aos 34 minutos Thiago Maihara começou a mostrar que seria decisivo na partida e após receber a bola em cobrança de penal rápido, apoiou a bola no fundo do ingoal dos Jacarés marcando o primeiro try para os franceses e colocando sua equipe novamente em jogo.
 

Nos últimos cinco minutos do primeiro tempo, entrou em jogo e começou a jogar no campo de ataque, pressionando e tentando impor seu ritmo de jogo. Aos 39 minutos, após trabalhar a bola nas cinco dos visitantes, Beukes conseguiu tirar a bola de dentro do ruck e com uma ótima finta de corpo, conseguiu furar a linha de defesa dos Jacarés e entrou dentro do ingoal dos visitantes, marcando o segundo try dos franceses, convertido por Pilla e colocando o Pasteur na liderança. A virada no placar prometia muita emoção para a segunda etapa de jogo.
 

O segundo tempo começou com um ritmo mais intenso e as duas equipes tinham os últimos quarenta minutos para decidir suas vidas no campeonato. Os Galos voltaram mais ligados e aos seis minutos, Maihara foi novamente decisivo e em jogada de muita velocidade, entrou no ingoal e apoiou a bola no meio dos paus. Os Jacarés não conseguiam encontrar seu padrão de jogo até que, aos onze minutos, retomou a posse de bola e depois de vária fases trabalhadas no campo de ataque, Adolfo Lucas entrou em velocidade na ponta e marcou mais um try para os visitantes, diminuindo e colocando mais dramaticidade a partida, convertido por Helder.
 

Após encostar no placar, o Jacareí se lançou com todas as forças ao ataque em busca da vitória. Porém o Pasteur, sentindo o perigo eminente, aumentou sua concentração na partida e começou a encontrar seu padrão de jogo, passando a dominar as jogadas de linha, lines e formações fixas, ditando o ritmo da partida e pressionando a brava equipe do Jacareí que vendia caro a derrota. Até que aos 17 minutos, o Pasteur, após uma formação fixa nas cinco de ataque, empurrou o scrum do Jacareí e o oitavo Lucas Croffi levantou da formação fixa apoiando a bola no ingoal do Jacareí, marcando o quarto try dos galos, garantindo assim o ponto bônus de ataque. Os visitantes não se abalaram com o forte golpe e continuaram se lançando ao ataque em busca da virada no placar até que, aos 28 minutos, Eduardo Garcia em jogada oportunista, marcou mais um try para os Jacarés, encostando de vez no placar e dando mais dramaticidade para os últimos dez minutos de partida.
 

O último quarto da etapa final foi marcada pelo cansaço e desgaste físico da equipe do Jacareí, que mesmo lutando bravamente, não conseguiu parar o forte ataque da linha do Pasteur, que aos 36 minutos marcou seu quinto e último try da partida com Felipe Zeni convertido por Pedro Di Pilla, fechando o placar e eliminando de vez as chances dos Jacarés se manterem na elite do Rugby nacional.
 

O forte golpe dessa vez abalou psicologicamente a jovem equipe do Jacareí que, nos últimos minutos, perdeu a cabeça e partiu literalmente para a agressão física. A briga começou com Helder e Gu, trocando socos. A atitude imprudente provocou uma grande confusão e pancadaria entre vários atletas. O clima quente dentro de campo também influenciou as torcidas locais do Jacareí e Pasteur que entraram na briga de forma “indireta”. A torcida do Pasteur inflamou mais ainda a briga que ocorria dentro de campo, com gritos de guerra que mais soavam como ofensas do que incentivo a sua equipe, atitude essa contrária do comportamento padrão visto de torcedores de Rugby. Vale também dar um destaque não só pela péssima atitude dos atletas dentro de campo, como também de alguns torcedores e mais grave ainda de dirigentes do Pasteur, que tentaram entrar em campo para participar da confusão, mas que afortunadamente foram contidos e ficaram no alambrado da Arena Paulista gritando e inflamando ainda mais a confusão.
 

Esfriado os ânimos, o resultado da confusão foram dois amarelos para o Jacareí (Helder Garcia e Vinícius Gonçalves) e Pasteur (Gustavo Badino). A vitória bonificada do Pasteur garantiu provisoriamente a sexta posição aos galos, que em sua próxima partida, receberá em casa a equipe do Farrapos em partida decisiva. Em caso de vitória, os Galos irão espantar de vez a possibilidade de ficar na sétima colocação e ter que fazer o jogo de acesso contra o San Diego.
 

Já o rebaixado Jacareí terá a difícil missão de vencer em casa a forte equipe do Band e se despedir com uma vitória do Super 8.
 

NOTA DE ESCLARECIMENTO:
Diante dos comentários acerca do episódio ficou da partida, o Portal do Rugby reconhece que o Pasteur tem direito em questionar o texto em alguns aspectos, pois de fato não é perceptível tentativa de invasão de campo e não é possível captar xingamentos, por conta dos gritos da torcida, o que não significa que não ocorreram, apenas que quem não estava estava lá não consegue identificá-los (e é por isso que os editores do Portal do Rugby não podem se manifestar acerca disso, confiando na palavra do colaborador e delegado presente, que não tem motivo algum para prejudicar o Pasteur, já que não tem qualquer relação pessoal com nenhum dos clubes envolvidos).

 

Entretanto, acerca da conduta da torcida relatada – e que não é exclusividade do Pasteur, pois comportamento semelhante foi visto em outros jogos do Super 8 da parte de torcedores de outros clubes – o ato de se gritar de forma provocativa contra outra equipe – ainda mais neste jogo em questão, com o Jacareí no final de uma partida após a qual seria rebaixado – não é o comportamento que se espera de “cavalheiros” do rugby. O Pasteur quer cantar? Cante, mas não voltando sua cantoria para cima dos atletas do time oponente. Se houvesse alguém do outro lado descontrolado, a confusão que estava dentro do campo poderia ter se tornado pior. Tal postura precisa ser revista e questionada hoje por todos do rugby brasileiro, especialmente quando clube que desenvolvem belos trabalhos de categorias de base estão em campo, pois é a partir do exemplo de uma geração que a próxima geração se molda.
 

Placar final: Pasteur (17) 38 X 28 (16) Jacareí

Pasteur
Tries: Maihara (2), Beukes, Lucas Croffi, Felipe Zeni
Conversões: Pedro di Pilla (5)
Penais: Pedro di Pilla
Cartões amarelos: Guilherme Pieri, Gustavo Badino
Jacareí
Tries: Matheus Cruz, Adolfo Lucas, Eduardo Garcia
Conversões: Helder Garcia (2)
Penais: Helder Garcia (3)
Cartões Amarelos: Helder Garcia, Vinícius Gonçalves
 

EquipeCidade (Estado)PJVED4+-7PPPCSP
São JoséSão José dos Campos (SP)481410044431022783
Band SaracensSão Paulo (SP)4714100434311199112
CuritibaCuritiba (PR)421490533341214127
SPACSão Paulo (SP)401480653322213109
PasteurSão Paulo (SP)311460834232267-35
DesterroFlorianópolis (SC)30146083328427410
FarraposBento Gonçalves (RS)221450911236356-120
JacareíJacareí (SP)1214201222207493-286


 

 
Artigo por Henrique Lima
Foto por Luiz Pires/Fotojump

Comentários