Após um fim de semana de pausa, o Rugby Championship retorna nesse fim de semana com as seleções do lado oeste do campeonato visitando as do lado leste, isto é, África do Sul e Argentina viajando à Oceania para encararem duas partidas contra Nova Zelândia e Austrália. Os jogos de sábado colocarão frente a frente primeiro All Blacks e Pumas e, na sequência, Wallabies e Springboks. Após neozelandeses e sul-africanos vencerem nas duas primeiras rodada, caberá a australianos e argentinos tentarem reagir na terceira rodada.

 

A busca improvável pelo fim do tabu

Jamais na história a Argentina obteve uma vitória sobre a Nova Zelândia, com o único jogo que não resultou em uma derrota foi o famoso empate de 1985, quando os Pumas eram liderados por Hugo Porta. Nesse sábado, os argentinos estarão na Nova Zelândia e tentarão o improvável. O momento não favorece nada as esperanças da torcida argentina, já que os Pumas e os Jaguares tiveram até aqui um ano preocupante, de poucos pontos altos.

- Continua depois da publicidade -

Daniel Hourcade trocou 6 atletas no XV titular para tentar o milagre. Benjamin Macome entrou na terceira linha no posto de Leguizamón, jogando ao lado de Ortega Desio, que ganhou a titularidade na asa no lugar de Lezana. Guido Petti voltou na segunda linha no lugar de Lavanini, ao passo que o pilar Nahuel Tetaz Chaparro foi nomeado para a vaga do lesionado Ramiro Herrera. Na linha, Nicolás Sánchez voltará a ter a 10 titular no lugar de Juan Martín Hernández, não relacionado, enquanto a ponta terá a velocidade de Santiago Cordero.

Já Steve Hansen optou por fazer seu elenco rodar, dando oportunidades a mais atletas. O asa Vaea Fifita fará seu primeiro jogo como titular dos All Blacks, tendo a companhia na terceira linha de Ardie Savea e do capitão Kieran Read, que permaneceu no time titular. Entre as novidades, Luke Romano na segunda linha fará seu primeiro jogo com os kiwis, ao passo que o scrum-half será TJ Perenara, com Aaron Smith ganhando uma folga. Além dele, na linha o retorno é de Nehe Milner-Skudder. Beauden Barrett segue sendo o abertura da equipe, prometendo levar muito perigo aos argentinos.

 

versus copiar

04h35 – Nova Zelândia x Argentina, em New Plymouth – Watch ESPN AO VIVO

Árbitro: Angus Gardner (Austrália)

Nova Zelândia: 15 Damian McKenzie, 14 Israel Dagg, 13 Anton Lienert-Brown, 12 Sonny Bill Williams, 11 Nehe Milner-Skudder, 10 Beauden Barrett, 9 TJ Perenara, 8 Kieran Read (c), 7 Ardie Savea, 6 Vaea Fifita, 5 Brodie Retallick, 4 Luke Romano, 3 Nepo Laulala, 2 Dane Coles, 1 Joe Moody;

Suplentes: 16 Codie Taylor, 17 Wyatt Crockett, 18 Ofa Tu’ungafasi, 19 Scott Barrett, 20 Sam Cane, 21 Tawera Kerr-Barlow, 22 Lima Sopoaga, 23 Ngani Laumape;

Argentina: 15 Joaquin Tuculet, 14 Santiago Cordero, 13 Matias Moroni, 12 Jeronimo de la Fuente, 11 Emiliano Boffelli, 10 Nicolas Sanchez, 9 Tomas Cubelli, 8 Benjamin Macome, 7 Javier Ortega Desio, 6 Pablo Matera, 5 Matias Alemanno, 4 Guido Petti, 3 Nahuel Tetaz Chaparro, 2 Agustin Creevy (c), 1 Lucas Noguera Paz;

Suplentes: 16 Julian Montoya, 17 Santiago Garcia Botta, 18 Enrique Pieretto Heilan, 19 Marcos Kremer, 20 Tomas Lezana, 21 Martin Landajo, 22 Santiago Gonzalez Iglesias, 23 Matias Orlando;

Histórico: 24 jogos, 23 vitórias da Nova Zelândia e 1 empate. Último jogo: Argentina 17 x 36 Nova Zelândia, em 2016 (The Rugby Championship);

 

Uma última chance para os Wallabies?

Depois de cair duas vezes contra os All Blacks, os Wallabies têm poucas chances de ganhar o título do Championship e a última grande chance da Austrália impressionar será justamente jogando em casa contra os Springboks, que, assim como os All Blacks, obtiveram duas vitórias na largada da competição. O palco do desafio poderá, no entanto, ser perigoso para os Wallabies, já que Perth é a casa do Western Force, equipe recentemente excluída do Super Rugby. O que significa que uma noite de festa terá vários ingredientes para se tornar uma noite de protestos no Oeste Australiano.

A África do Sul faz um ano muito bom, após viver um 2016 dantesco. Os Springboks passaram por renovação e vem numa crescente. Assim, o técnico Allister Coetzee manteve a base do time que venceu os Pumas na Argentina, fazendo apenas duas trocas. O scrum-half Ross Cronjé retornou ao XV, recuperado de lesão, para fazer a dupla do Lions com Elton Jantjies, enquanto na segunda linha Mostert ganhou um descanso e quem entrará como titular é Pieter-Steph du Toit. O torcedor sul-africano ainda comemorou a nomeação do abertura Handré Pollard na reserva da partida.

Michael Cheika, por sua vez, efetuou quatro trocas no elenco Wallaby, com apenas um nome sendo mudado no time titular após um jogo inspirador contra os All Blacks na segunda rodada. É o segunda linha Adam Coleman, que entrou na vaga do lesionado Rory Arnold. O time não terá também Stephen Moore, que se ausentou para ser pai. Contra os neozelandeses, os australianos perderam o jogo passado por apenas 35 x 29, mostrando evolução mesmo em meio às turbulências. Com isso, Cheika apostou em dar segurança e otimismo a seu grupo, mantendo a base da equipe que se superou em campo.

Os Wallabies se preocupam desde já com as formações, pois o desempenho sul-africano vem sendo avassalador, com 100% de efetividade nos scrums e 97% nos laterais, com os Springboks tendo clara vantagem no jogo de forwards. Os Wallabies, contudo, mostraram uma capacidade de definição animadora diante do All Blacks, com média superior a 4 tries por jogo contra o poderoso rival, quando os australianos souberam aproveitar as raras falhas neozelandesas.

 

versus copiar

07h00 – Austrália x África do Sul, em Perth

Árbitro: Glen Jackson (Nova Zelândia)

Austrália: 15 Israel Folau, 14 Henry Speight, 13 Tevita Kuridrani, 12 Kurtley Beale, 11 Reece Hodge, 10 Bernard Foley, 9 Will Genia, 8 Sean McMahon, 7 Michael Hooper (c), 6 Ned Hanigan, 5 Adam Coleman, 4 Rory Arnold, 3 Sekope Kepu, 2 Tatafu Polota-Nau, 1 Scott Sio;

Suplentes: 16 Jordan Uelese, 17 Tom Robertson, 18 Allan Alaalatoa, 19 Rob Simmons, 20 Jack Dempsey, 21 Nick Phipps, 22 Samu Kerevi, 23 Curtis Rona;

África do Sul: 15 Andries Coetzee, 14 Raymond Rhule, 13 Jesse Kriel, 12 Jan Serfontein, 11 Courtnall Skosan, 10 Elton Jantjies, 9 Ross Cronje, 8 Uzair Cassiem, 7 Jaco Kriel, 6 Siya Kolisi, 5 Pieter-Steph du Toit, 4 Eben Etzebeth (c), 3 Coenie Oosthuizen, 2 Malcolm Marx, 1 Tendai Mtawarira;

Suplentes: 16 Bongi Mbonambi, 17 Steven Kitshoff, 18 Trevor Nyakane, 19 Lood de Jager, 20 Jean-Luc du Preez, 21 François Hougaard, 22 Handré Pollard, 23 Damian de Allende;

Histórico: 83 jogos, 46 vitórias da África do Sul, 36 vitórias da Austrália e 1 empate. Último jogo: África do Sul 18 x 10 Austrália, em 2016 (The Rugby Championship);

*Horários de Brasília

PaísApelidoJogosPontos
Nova ZelândiaAll Blacks628
AustráliaWallabies615
África do SulSpringboks614
ArgentinaLos Pumas60