Sunwolves vencem os Reds no Super Rugby. Foto: Sunwolves

Mais especulações sobre o futuro do Super Rugby! Nesta semana, o jornal australiano Sydney Morning Herald noticiou que o time japonês do Super Rugby, o Sunwolves, poderá ser mais um excluído da liga.

O jornal revelou que a SANZAAR, entidade responsável pelo Super Rugby, quer retornar ao modelo de 14 times, todos contra todos, para a temporada 2021, uma vez que o modelo de conferências se provou impopular. Austrália e Nova Zelândia não deverão ter cortes no número de equipes, ao passo que a Argentina não poderá perder os Jaguares, já que o país é sócio pleno da SANZAAR e não poderá ficar sem times na liga. O Japão, no entanto, não participa da gestão da entidade ainda e, portanto, corre risco de perder sua equipe, que vem sendo a mais fraca da liga.

Entretanto, os japoneses poderiam ser salvos de corte caso algum time sul-africano decide migrar para o PRO14, seguindo os passos de Cheetahs e Kings. A possibilidade do PRO14 se expandir para PRO16 com mais 2 times da África do Sul vem ganhando força, mas a South Africa Rugby (a federação sul-africana) já deixou claro que gostaria de contar com 4 times em cada uma das ligas. Mpumalanga Pumas e Griquas seriam os candidatos ao PRO16.

Em resposta à matéria, Andy Marinos, CEO da SANZAAR, afirmou que não há nada concreto sobre mudanças no formato do Super Rugby e que tais possibilidades são meras especulações.