Neste sábado teve título em dose dupla para o Brasil! O Rugby League – o rugby de 13 atletas, o XIII – viveu seu grande domingo, com as decisões dos títulos das inédita Copa Sul-Americana Masculina e Taça Sul-Americana Feminina entre Brasil e Argentina.

Os jogos históricos rolaram no Clube de Campo do Palmeiras, em São Paulo, e o evento começou com vitórias brasileiras nos amistosos entre os times B masculinos de Brasil e Argentina – 38 x 00 – e masculinos M17 – com o Brasil fazendo 32 x 04.

 

No feminino não tem para ninguém

- Continua depois da publicidade -

Depois, as seleções femininas dos dois países foram a campo na primeira partida da história da seleção brasileira no XIII. O jogo entre Brasil e Argentina valia como parte das Eliminatórias para a Copa do Mundo Feminina de Rugby League de 2021 e as brasileiras mantiveram a hegemonia que vem do Union e venceram as argentinas por implacáveis 48 x 00.

Com as ex Yaras Paulinha e Bruna Lotufo em campo (e ampliando suas invencibilidades pessoais contra o país vizinho) e com André “Boy”, ex Tupis, de treinador, o Brasil foi somando try atrás de try sem sustos. E o primeiro try na história da seleção foi de Carolina Palazzini, a “Pala”, do Band. Paulinha deixou sua marca fazendo o segundo try do jogo, Pala marcou mais um na sequência e Dani Missau fechou o primeiro tempo com novo try, abrindo 16 x 00.

A porta se abriu de vez no segundo tempo, com o Brasil correndo para mais 6 tries, com Pala (hat trick! 3 tries no jogo), Aline 2 vezes, Jenifer, Camila Lacerda e Tati cruzando o in-goal. Imbatíveis até no rugby de 13!

Clique aqui para conferir fotos exclusivas das Seleção Brasileira Feminina de Rugby League.

48versus copiar00

Brasil 48 x 00 Argentina – Feminino

Brasil

Tries: Pala (3), Aline (2), Paulinha, Dani, Jenifer, Camila Lacerda e Jenifer

Conversões: Xaxá (4)

1 Schwarleny “Xaxá” Schwambach, 2 Camila Lacerda, 3 Karina Araújo, 4 Tatiane Fernandes, 5 Camila Santos, 6 Aline Bednarski, 7 Aniele Rodrigues, 8 Paula “Paulinha” Ishibashi, 9 Danielle Missau, 10 Carolina Palazzini, 11 Juliana Modanaze, 12 Bruna Lotufo, 13 Maria Graf;

Interchange: 14 Ana Bittencourt, 15 Jenifer Pacheco, 16 Iris Coluna, 17 Marina Fioravanti;

Argentina: 1 Marina Villalba, 2 Sofia Laurent, 3 Clarisa Berdun, 4 Leticia Castro, 5 Vanina Berdun, 6 Luisina Favre, 7 Claudia Cejas, 8 Agustina Villalba, 9 Odilma Laurent, 10 Jennifer Paiva, 11 Carina Olguiri, 12 Claudia Favre, 13 Elizabet Solis;

Interchange: 14 Daiana Solis, 15 Valentina Villalba, 16 Jacqueline Aguirre;

 

Vitória épica do Brasil no masculino

O jogo do masculino entre brasileiros e argentinos prometia e entregou uma disputa alucinante. O Brasil, do técnico samoano Manupo Faalalo, começou com tudo a partida e marcou nada menos que 3 tries seguidos, com Lucas Drudi, Rogério Simões e Lucas “Bagé” Viñas correndo para um 14 x 00 empolgante para o torcedor que esteve na zona sul paulistana.

Os argentinos reagiram com try de Nahuel Lajmanovich, levando o embate à pausa em 14 x 04 para os brasileiros. Mas os argentinos largaram a segunda etapa determinados à virada – e viraram o marcador com 3 tries, de Juan Carlos Blumetti, Sergio Espínola e Blumetti de novo. 20 x 14. Nocaute? Nada disso.

O Brasil cresceu no fim e arrancou uma épica vitória com tries de Zach Grundy, vindo do League australiano, e ninguém menos que Lucas Drudi, experiente com Tupis e Jacareí, que definiu o jogo com o try do título, 22 x 20, números finais!

Clique aqui para conferir fotos exclusivas das Seleção Brasileira Masculina de Rugby League.

22versus copiar20

Brasil 22 x 20 Argentina – Masculino

Brasil

Tries: Drudi (2), Rogério Simões, Bagé e Grundy

Conversões: Drudi (3)

1 Liniker Faria, 2 Matheus Marinho, 3 Warlen Junior, 4 Lucas Drudi, 5 Douglas Parazzi, 6 Vinícius “Jaspion” Hideo, 7 Lucas “Bagé” Viñas, 8 Arthur Isaac, 9 Zach Grundy, 10 Rafael “Loirão” Goes, 11 Caio Ozzioli, 12 Bruno Gil, 13 Gabriel Torres;

Interchange: 14 Leandro Caetano, 15 Denes Cardozo, 16 Gudemberg Silva, 17 Rogério Simões;

Argentina

Tries: Blumetti (2), Espínola e Lajmanovich

Conversões: Lizarzuay (2)

1 Juan Ignácio Canepa, 2 Dylan Moreira, 3 Marcelo Villalba, 19 Sergio Espínola, 5 Ariel Cosso, 6 Facundo Lizarzuay, 7 Carlos Ernesto Di Nucci, 8 Gastón Barrera, 9 Juan Carlos Blumetti, 10 Ulises Silva, 11 Leandro Donato, 12 Ares Martinez, 13 Dario Moyano;

Interchange: 18 Leandro Kuniczer, 15 Lucas Escobar, 16 Nahuel Lajmanovich, 17 Brian Avejera;