Brasil é vice campeão em Viña e está classificado para o Hong Kong Sevens!

Um torneio histórico para a Seleção Brasileira Masculina de Sevens em Viña del Mar! O Brasil mostrou a evolução de sua equipe antes do Rio 2016 e garantiu um inédito vice campeonato na competição, assegurando pelo segundo ano seguido classificação ao Torneio Qualificatório de Hong Kong, a segunda divisão mundial. Mas, não foi apenas a classificação que foi festejada.

 

Os Tupis quebraram os prognósticos, pela primeira vez na história conquistaram duas vitórias seguidas sobre o Uruguai, bateram os Falcons, o time de desenvolvimento dos Estados Unidos, e superaram ninguém mesmo que a South Africa Academy, a seleção de desenvolvimento da África do Sul, que foi ao Chile com um forte elenco liderado pelo capitão Frankie Horne, de longo histórico pelo time principal do país. A vitória contra os Boks, desde já, pode entrar para o topo dos maiores feitos da história dos Tupis. Na final, a força da Argentina falou mais alto, com o título escapando do Brasil. Mas, a festa foi toda do lado brasileiro pela memorável campanha.

 
O torneio ainda teve participação do árbitro brasileiro Henrique Platais.
 

Brasil classificado para o Hong Kong Sevens!

Pela segunda vez consecutiva o Brasil está classificado para o Torneio Qualificatório de Hong Kong, a segunda divisão da Série Mundial de Sevens, que rola nos dias 8, 9 e 10 de abril. Esta foi a terceira classificação do Brasil na história para Hong Kong.

 

Neste sábado, os Tupis asseguraram a vaga graças a uma grande vitória sobre  o Uruguai em Viña del Mar. O duelo com os Teros abriu o torneio para o Brasil e foi parelho, mas se encerrou com os Tupis vencendo os uruguaios pela segunda vez consecutiva, feito inédito na história da equipe. O Uruguai largou em vantagem com um try de Martinez não convertido. Mas, Moisés deu o troco e Tanque converteu, deixando os Tupis na frente em 7 x 5. Antes do intervalo, no entanto, Drudi recebeu amarelo e Rodrigo Silva recolocou o Uruguai na frente em 12 x 7. Mas, por pouco tempo. O segundo tempo foi brasileiro e Moisés fez mais um try para empatar a partida na volta para o segundo tempo. E, no finzinho do jogo, Lucas Muller cruzou o in-goal para dar a preciosa vitória aos Tupis, 19 x 12.

 

O segundo compromisso não foi bom para os Tupis, com derrota por 24 x 0 incontestável contra o Chile. Com o resultado, o Brasil dependia de uma vitória sobre o Peru na última rodada e de um novo insucesso uruguaio diante do Chile. E tudo ocorreu como o desejado. O Brasil atropelou os Tumis, fazendo 56 x 7, com tries de Laurent (2 vezes), Boy (2 vezes), Moisés, Tanque, Rambo e Alemão. Já o Chile fez sua parte e bateu o Uruguai na última partida, arrancando 26 x 10 sobre os Teros. Com os resultados, Brasil e Chile conquistaram as vagas sul-americanas em Hong Kong, deixando para trás o Uruguai.

 

Campanha histórica

O domingo começou com os Tupis impressionando a todos com uma vitória irrepreensível sobre os Falcons dos Estados Unidos. Tanque, Martin, Rambo e Boy deram as boas vindas aos estadunidenses com quatro tries na primeira etapa e 26 x 0 no marcador. Os EUA ainda reduziram o placar com um try de honra, mas os Tupis se impuseram com mais um try de Drudi, fechando o placar em 33 x 7 nas quartas de final.

 

Com a vaga entre os quatro melhores, o Brasil cresceu e fez um jogo para entrar para a história contra a South Africa Academy. Os Tupis voaram sobre s Boks no começo do jogo, com Lucas Muller abrindo dois tries surpreendentes para o Brasil, que se colocou em 14 x 0. Quando Alemão cruzou o in-goal e ampliou para 21 x 0 o placar o que parecia sonho se materializou. No fim, a África do Sul reagiu com dois tries, mas não teve tempo de virar o placar. 21 x 12 históricos para o Brasil.

 

Na grande final, no entanto, a força da Argentina, comandada pelo técnico e ex jogador Lucas Borges, foi sentida logo no início, com 14 x 0 para os Pumas nas duas primeiras bolas. O Brasil não se intimidou e Rambo descontou com o primeiro try verde e amarelo. Os argentinos responderam na mesma moeda, mas Tanque fez antes do intervalo o segundo try brasileiro, para levar o duelo em 19 x 12 ao intervalo. O rendimento ofensivo acabou caindo no segundo tempo e os Pumas cruzaram o in-goal mais duas vezes, fechando o título argentino com 33 x 12. Ainda assim, festa maior do lado brasileiro, pela grande conquista.

 

seven viña 2016

Seven Viña 2016 – em Viña del Mar, Chile

Grupo Qualificatório para Hong Kong: Uruguai, Chile, Brasil e Peru

Grupo Internacional: África do Sul, Argentina, Estados Unidos e Canadá

 

Sábado, dia 16 de janeiro

*Hora de Brasília

14h20 – Chile 31 x 00 Peru

14h40 – Uruguai 12 x 19 Brasil

15h00 – Canadá 00 x 40 África do Sul

15h20 – Argentina 22 x 07 Estados Unidos

 

17h00 – Uruguai 33 x 07 Peru

17h20 – Chile 24 x 00 Brasil

17h40 – Estados Unidos 07 x 33 África do Sul

18h00 – Argentina 22 x 05 Canadá

 

20h10 – Brasil 56 x 07 Peru

20h30 – Chile 26 x 10 Uruguai

20h50 – Canadá 17 x 21 Estados Unidos

21h10 – Argentina 07 x 24 África do Sul

 

*Em negrito, os jogos que valeram vaga em Hong Kong

 

Domingo, dia 17 de janeiro

Quartas de final

13h30 – Peru 00 x 54 África do Sul

13h50 – Uruguai 05 x 29 Argentina

14h10 – Brasil 33 x 07 Estados Unidos

14h30 – Chile 14 x 12 Canadá

 

Semifinais Taça Bronze

16h10 – Estados Unidos 19 x 10 Peru

16h50 – Uruguai 10 x 21 Canadá

 

Semifinais Taça Ouro

16h50 – Brasil 21 x 12 África do Sul

17h10 – Argentina 35 x 07 Chile

 

Finais
19h25 – Decisão do 7º lugar – Peru 00 x 45 Uruguai

19h45 – Final Bronze – Estados Unidos 17 x 15 Canadá

20h05 – Final Prata – África do Sul 29 x 12 Chile

20h45 – Final Ouro – Brasil 12 x 33 Argentina

 

Classificação final: 1 Argentina, 2 Brasil, 3 África do Sul, 4 Chile, 5 Estados Unidos, 6 Canadá, 7 Uruguai, 8 Peru.

 

Brasil

Arthur Bomfim Bergo (SPAC);

Pedro Henrique da Costa Lopes (São José);

Lucas Drudi Romeu (Jacareí);

Felipe Claro Sant’Ana Silva “Alemão” (SPAC);

Lucas Rodrigues Duque “Tanque” (São José);

Moisés Rodrigues Duque (São José);

Stefano Giantorno (San Luis, Argentina);

Rodrigo Jose Andrioli (São José);

Laurent Jose Bourda Couhet (Band Saracens);

Lucas Rainho Tranquez “Zé” (SPAC);

Gustavo Barreiros de Albuquerque “Rambo” (Curitiba);

Robert Aguinaldo Tenório da Silva Santos (Pasteur);

 

Comentários