O título da Taça Tupi segue em São Paulo! Band Saracens e Charrua se encontraram em Curitiba e fizeram uma grande partida mas o resultado final de 41 a 26 a favor dos bandeirantinos acabou coroando sua campanha impecável.

O início do jogo parecia seguir um roteiro familiar para os torcedores do clube paulistano, com domínio da posse de bola e rapidamente subindo ao campo de ataque e Laurent abrindo o placar aos dez minutos de jogo. O Charrua se mostrava nervoso, com muitos erros de handling quando tinha a bola em mãos, e se limitava a defender os ataques adversários, mas não conseguiu parar Leandro “Cavalo” que irrompeu pelo centro da defesa em momento de pressão bandeirantina para ampliar a vantagem.

Aos poucos o Charrua começava a entrar no jogo, levando a disputa para a intermediária do campo mas suas poucas chances no primeiro tempo não ameaçaram o adversário. Para piorar a situação dos Índios, Pablo anotou seu primeiro try do dia em corrida pela direita de quase meio campo, seguido de conversão de Erick Iglesias, que anotou ainda um penal, fechando a primeira etapa com uma importante vantagem de 22 a 0.

O segundo tempo mudou completamente de cara, e o Charrua mostrou que estava vivo na final, reduzindo com Frederico em boa ação pelo lado direito mostrando a força gaúcha e passou a frequentar os 22m adversário com frequência além de mostrar mais agressividade no trabalho defensivo, forçando o adversário ao erro. Ainda assim, o Sarries ampliou com Pablo pela direita após saída pelo lado cego do scrum.

- Continua depois da publicidade -

A partida ficou lá e cá, e a cada subida as equipes levaram perigo. Após um chute cruzado do abertura Charrua, a bola enganou a defesa e Xandão aproveitou para retomar a posse e mergulhar no ingoal. A retribuição veio somente quatro minutos depois, com Beto Pedroza finalizando uma rápida inversão de jogo e encontrando espaço na linha para retomar a vantagem. No ataque seguinte, Arthur voltou a dar levantar a torcida da equipe portoalegrense que ainda sonhava com a virada ao anotar o terceiro try Charrua, mas Beto novamente esfriou as pretensões adversárias e anotou seu segundo try do dia.

O relógio apontava para os minutos finais mas Diego “Banana” tratou de manter o suspense no ar, reduzindo a vantagem bandeirantina para apenas 15 pontos, e a exclusão de Eduardo Alves deixaria a equipe em superioridade numérica até o fim da partida. O Charrua teve mais uma chance para reduzir, mas acabou falhando e a partida encerrada com o triunfo do Saracens, muito celebrada em campo.

O Band Saracens encerra sua campanha com o título e uma campanha perfeita, com oito vitórias, melhor ataque, melhor defesa, maior pontuador (Erick Iglesias – 161 pontos) e trymen (Leandro “Cavalo” e Laurent com 15 tries cada)

As duas equipes estão garantidas na elite nacional em 2018.

O Portal do Rugby elegeu Pablo Hernandez como melhor jogador da partida.

Foto por Susi Seitz

 

41versus copiar26charrua novo

Placar final: Band Saracens (22) 41 X 26 (00) Charrua

Band Saracens

Tries: Laurent, Leandro Cavalo, Pablo Hernandez (2) e Beto Pedroza (2)
Conversões: Erick Iglesias (4)
Penal: Erick Iglesias
Cartão Amarelo: Eduardo Alves

 

Charrua

Tries: Frederico, Alexandre, Arthur e Diego Petrobom “Banana”
Conversões: Leozinho (3)

 

AnoCampeãoCidade (Estado)Promovidos (Cidade/Estado) Nome da competição
1969SPAC "B"São Paulo (SP)2ª Divisão
1970Colégio Pasteur*

Mackenzie*
São Paulo (SP)2ª Divisão
1971Medicina*

Mackenzie*
São Paulo (SP)2ª Divisão
1972MackenzieSão Paulo (SP)2ª Divisão
1973Colégio Pasteur¹São Paulo (SP)2ª Divisão
1974NiteróiNiterói (RJ)2ª Divisão
1975SPAC "B"São Paulo (SP)2ª Divisão
1976FederalSão Paulo (SP)2ª Divisão
1977MauáSão Caetano do Sul (SP)2ª Divisão
1978Guanabara "B"²Rio de Janeiro (RJ)2ª Divisão
1979FEISão Bernardo do Campo (SP)2ª Divisão
1980FEISão Bernardo do Campo (SP)2ª Divisão
1981MackenzieSão Paulo (SP)2ª Divisão
1982Bruder³São Paulo (SP)2ª Divisão
1983São Paulo FCSão Paulo (SP)2ª Divisão
1984São Paulo FCSão Paulo (SP)2ª Divisão
1985NipponSão Paulo (SP)2ª Divisão
1986São Paulo FCSão Paulo (SP)2ª Divisão
1987SPAC "B"São Paulo (SP)2ª Divisão
1988Rio BrancoSão Paulo (SP)2ª Divisão
1989CuritibaCuritiba (PR)2ª Divisão
2004VarginhaVarginha (MG)--Série B
2005CuritibaCuritiba (PR)Curitiba (Curitiba/PR) RJ Union (Rio de Janeiro/RJ)Série B
2006não houve 2ª divisão
2007BH RugbyBelo Horizonte (MG)BH Rugby (Belo Horizonte/MG) Orixás (Salvador, BA)Copa do Brasil
2008SPACSão Paulo (SP)SPAC (São Paulo, SP)Pasteur (São Paulo, SP)Copa do Brasil
2009BH RugbyBelo Horizonte (MG)--Copa do Brasil
2010Farrapos Bento Gonçalves (RS)Farrapos (Bento Gonçalves/RS) BH Rugby (Belo Horizonte/MG)Copa do Brasil
2011IlhabelaIlhabela (SP)--Copa do Brasil
2012TornadosIndaiatuba (SP)--Copa do Brasil
2013AlecrimNatal (RN)Alecrim (Natal/RN)-Copa do Brasil
2014JacareíJacareí (SP)Jacareí (Jacareí/SP-Taça Tupi
2015NiteróiNiterói (RJ)Niterói (Niterói/RJ)-Taça Tupi
2016JacareíJacareí (SP)Jacareí (Jacareí/SP) Poli (São Paulo/SP)Taça Tupi
2017Bandeirantes SaracensSão Paulo (SP)8 clubes ao todo-Taça Tupi
2018TornadosIndaiatuba (SP)Tornados (Indaiatuba/SP) e Serra Gaúcha (Caxias do Sul/RS)Taça Tupi
2019-
*Títulos divididos;

¹ Colégio Pasteur, equipe anterior à fundação do Pasteur AC;
² Bruder Rugby foi o primeiro nome do Bandeirantes;
³ Equipe original do Guanabara, anterior ao clube atual.